10 anos da lei de cotas: para onde caminhar?

A Lei de Cotas 12.711/12 completa 10 anos neste mês de agosto. Desde 2002 até 2012, a experiência de cotas para negros, indígenas e para alunos de escolas públicas em dezenas de Instituições de Educação Superior – IES – públicas brasileiras, comprovaram a importância da democratização das vagas nestas IES e Institutos Federais- IF´s – para enfrentar as desigualdades e contribuir para o desenvolvimento do Brasil.
A aprovação de cotas nas IES e IF´s foi protagonizada pelo movimento negro, que soube pautar a necessidade do enfrentamento às desigualdades raciais nas políticas públicas, especialmente na educação. Com este feito, conseguiu mudar a história da educação brasileira e revolucionou a educação superior ao tensionar a inclusão da população negra (pretos e pardos), impulsionando as cotas também para os povos indígenas, pessoas com deficiência e, inclusive, brancos pobres quando optam por critério de escola pública mais renda. Recentemente, quilombolas, pessoas trans e refugiados ta..

Ensino de inglês deve ser agregado em outras disciplinas

No contexto mercadológico, social e cultural em que vivemos, saber falar inglês não é mais um diferencial. É fundamental para ampliar as perspectivas tanto pessoais quanto profissionais dos nossos jovens. Tendo como ponto de partida a implementação do Novo Ensino Médio, que passou a ser obrigatório este ano nas escolas, o ensino de inglês se direciona para um novo conceito pedagógico, integrando o desenvolvimento linguístico aos conteúdos curriculares. No futuro, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai refletir essas mudanças e promete trazer uma prova mais analítica, especialmente a partir de 2024, quando finaliza o prazo da implantação do Novo Ensino Médio.
O inglês foi o idioma priorizado na reforma do Ensino Médio e, devido à sua relevância social, econômica e cultural, precisa ser parte do dia a dia da escola. Afinal, esta é a língua que media as práticas de linguagem moderna e seu conhecimento dá acesso aos vários saberes ascendentes em todo canto global.
No cotidiano escol..

Um inferno para chamar de nosso

Entre os anos 1307 e 1321, Dante Alighieri escreveu uma obra-prima da literatura mundial. A Divina Comédia trouxe o próprio Dante como protagonista e acompanha sua história de conversão: de pecador em busca de Deus. Nessa trajetória, ele passa pelo inferno e purgatório até o paraíso, cada um detalhado em um livro.
O inferno descrito no livro é formado por nove círculos, onde se concentram quem comete pecado na vida terrena e que são acometidos por diversas formas de sofrimento. Eles são atormentados por furacões e ventanias, atolados em lama suja, ficam debaixo de chuva de granizo, água e neve, são condenados a permanecer em um deserto de areia quente, onde caem chamas de fogo do céu…
As referências climáticas na trilogia de Dante parecem mais com uma profecia. Em 700 anos, a humanidade vem conseguindo transformar o planeta Terra em um lugar que se aproxima do inferno descrito pelo escritor italiano.
A Europa vive uma onda de calor sem precedentes. Já foram mais de mil mortos nos i..

A ciência do mar para as urnas

Com um território marinho de 3,5 milhões de quilômetros quadrados, mais de 7 mil quilômetros de costa concentrando cerca de 27% da população, o Brasil ainda vive de costas para o mar. A chamada “Amazônia Azul” é fundamental para a economia do País, sustentando 85% da exploração de petróleo, 45% de todo o pescado produzido e 95% do transporte do comércio exterior brasileiro. A atividade turística nesta área responde por 35% do turismo interno e 70% do turismo internacional, gerando mais de 500 mil empregos formais e inúmeros informais.
O Brasil abriga praias, restingas, lagunas, manguezais, bancos de gramas marinhas, além dos recifes rochosos e de corais que sustentam muitos desses benefícios à população. Diariamente arriscamos essas riquezas econômicas e naturais ao fomentar a exploração marinha ou “expansão azul” ignorando informações científicas. Seguimos sem um plano consolidado de desenvolvimento costeiro, fomentando exploração de óleo, gás e mineração em áreas sensíveis e assumin..

Pai,que emoção nos conecta a ele?

É comum, no mês no qual comemoramos o Dia dos Pais, sermos bombardeados por propagandas que ativam nossos sistemas sensoriais fazendo com que estejamos inclinados a lembrar intensamente da necessidade de presentes.
Porém, vale uma pergunta… Que emoção está conectada e sustenta sua relação paterna? Você poderá responder. É lógico que o que me conecta ao meu pai é o amor, a alegria, o carinho, a gratidão… Que bom! Porém, não são apenas essas referências que o sistema emocional aprendeu na construção da sua conexão paterna.
Seja como adolescente ou já adulto, você carrega referências paternas que foram construídas na sua infância, a partir da presença ou ausência do seu pai. Como você se comporta em seus relacionamentos? Como trata sua parceira ou parceiro? Como lida com sua profissão? Como você recebe uma ordem do seu chefe? Qual postura assume perante seus problemas? Qual força aplica para enfrentar os desafios? Como lida com o dinheiro?
Muita gente não sabe, mas todas essas vert..

E a violência em Salvador?

Ciclista morto no Dique durante roubo. Nutricionista baleada durante assalto em Nazaré. Idosa atingida em fogo cruzado na Barros Reis. Agora, estudante morta em tentativa de roubo no Campo Grande.
Por mais que sejam casos autônomos para a polícia, a sensação de insegurança é generalizada em Salvador. Também não se deve contestar que a violência, sobretudo letal, atinja a capital baiana há tempos, não só no centro, mas, principalmente, nos bairros populares.
Em 2021, Salvador apareceu como capital de maior taxa de mortes violentas do Brasil. Em 2022, foi desbancada só por Macapá, onde o índice vem aumentando pela crescente violência do tráfico de drogas na Amazônia, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública.
Ninguém é obrigado a saber estatística, mas deve notar que isso é alarmante. Essa taxa se refere ao número de mortes dividido pela população. Portanto, em Salvador, são assassinadas mais pessoas proporcionalmente do que em quase todas as capitais brasileiras. E ainda: a ..

Salvador avança nas ações de promoção da saúde e bem-estar animal

Na última semana, Salvador ganhou a primeira Unidade Móvel de Zoonoses (UZM) do Brasil. O projeto é pioneiro no país foi planejado quando ainda ocupava o cargo de secretário municipal da Saúde soteropolitana. O equipamento itinerante vai priorizar o acolhimento de animais de famílias carentes e fará toda a diferença para o enfrentamento e prevenção da esporotricose.
Essa é mais uma iniciativa que tive o orgulho de implementar voltadas ao bem-estar e promoção da saúde dos animais. Uma das primeiras ações que instaurei na minha gestão foi a implantação de um setor permanente na SMS para tratar diretamente desse assunto: a DIPA – Diretoria de Proteção e Bem-estar Animal.
Com isso, conseguimos acelerar a implementação de políticas públicas voltadas para os pets. Ampliamos o acesso às castrações gratuitas com a implantação de mais um serviço itinerante – o Castramóvel, e a contratualização de mais quatro clínicas privadas que realizam o procedimento totalmente gratuito na capital. De 2019 a..

O padroeiro de Salvador 

Salvador, enquanto Sede Primacial da Igreja no Brasil, tem uma história longa e bela que necessita ser mais conhecida e valorizada. A questão do “padroeiro” de Salvador não é uma questão apenas de cunho religioso, nem restrita aos católicos, pois integra o seu inestimável patrimônio histórico e cultural.
Considerando a história tão rica da Bahia, com as suas tradições religiosas e a devoção aos santos, muitos se perguntam sobre quem é o “padroeiro” de Salvador. A resposta a esta questão não se confunde com a devoção a santos que gozam de grande devoção popular, embora esta seja um fator muito importante na sua definição. A palavra “padroeiro” vem do latim “patronus”, que significa defensor ou protetor. A definição oficial de um padroeiro por meio de um ato eclesiástico leva em conta o que se encontra estabelecido nas capelas ou comunidades.
Desde as origens de Salvador, a povoação existente já era conhecida como “São Salvador” da Bahia ou da Bahia de Todos-os-Santos. Com o transcorre..

Micróbios comedores de plástico na era ESG

O mundo produz mais de dois bilhões de toneladas de resíduos por ano. A Agência de Proteção Ambiental dos EUA estima que cerca de três quartos dos resíduos são recicláveis, mas pouco menos de um terço é realmente reciclado. Segundo o Banco Mundial, metade de todos os produtos plásticos que poluem o mundo hoje foram criados após 2000, e 75% de todo o plástico já produzido já foi descartado.
O maior desafio são esses resíduos que poluem o oceano, prejudicam a vida marinha e a saúde pública. Nesta Década dos Oceanos (2021-2030), o custo econômico da poluição plástica de US$ 13 bilhões por ano, incluindo custos de limpeza e perdas financeiras para a pesca e outras indústrias, veem sendo acompanhados.
Desde a descoberta de bactérias comedoras de plástico em um depósito de lixo japonês, em 2016, o caminho para uma sociedade de baixo desperdício pode ser aprimorado por meio de micróbios e enzimas de bioengenharia que digerem plástico e outros resíduos. Os microplásticos são outro problema, ..

Os Desastres, a ciência e o exemplo de Salvador

Os meses de junho e julho marcam um período de grande tensão para a população soteropolitana, especialmente os mais vulneráveis, como moradores de encostas, pobres, mulheres mães de família e a população negra de modo geral, maioria nesse recorte de vulnerabilidade.
O ano de 2015 foi um divisor de águas, com licença da expressão, na política de prevenção a desastres da capital baiana, com o reconhecimento e investimento em ciência e pessoal. Salvador tem dado exemplo na precaução e respostas a deslizamento de terras, alagamentos e as mais variadas consequências advindas de tais eventos. Foi naquele ano que município registrou mais de uma dezena de mortos em deslizamento no período de chuvas. De lá para cá, não mais se registrou tragédias à semelhança.
Quem conhece Salvador sabe que a geografia da cidade possui aspectos geológicos que somados à urbanização sem planejamento, é terreno propício a tragédias “naturais”.
A geóloga Cristiane Neres relata em seus estudos que em 1551, doi..