Sondagem qualitativa detecta origem da alta rejeição ao PT no Oeste baiano

Uma ampla pesquisa qualitativa encomendada pela pré-campanha do ex-prefeito ACM Neto (União Brasil) ao Palácio de Ondina atribui a forte rejeição enfrentada pelo PT no Oeste da Bahia ao baixo empenho do governo estadual em solucionar a carência de energia na região. A insuficiência de matriz energética é apontada como a principal barreira para o crescimento do agronegócio baiano e a atração de investimentos de peso, sobretudo nas indústrias têxtil e de alimentos. Entre eleitores das classes média e alta do Oeste, fatia com potencial de influenciar votos em escala exponencial, o desinteresse das gestões petistas em empunhar a bandeira do setor produtivo local, após quase 16 anos no poder, ocupa o topo das queixas.

Deixa comigo
As insatisfações dirigidas ao PT por produtores rurais e lideranças que representam o agronegócio motivaram Neto a colocar a expansão da oferta de energia na região na lista de prioridades máximas do seu plano de governo. Com o gesto, Neto vem ganhando espaço cada vez maior no numeroso eleitorado antipetista do Oeste.

Roda presa
Crítico ferrenho da postura adotada pelo governo baiano diante do grande gargalo da região, o deputado estadual Paulo Câmara (PSDB) afirma que há dezenas de empresários com projetos parados por causa do déficit energético. "Tem produtor cuja expectativa é de receber a energia solicitada à Coelba apenas em 2025. Ainda assim, sem garantias claras de que o prazo será cumprido. Muitos recorrem a geradores movidos a diesel para manter a operação no campo. O que eleva bastante os custos. Boa parte do problema é resultado da desatenção do PT em apertar a Coelba a investir mais recursos na distribuição e mobilizar as forças políticas do estado para pressionar o governo federal a ampliar a rede de transmissão", destacou.

Fúria ecológica
O presidente Jair Bolsonaro (PL) despertou a ira de ambientalistas baianos e ONGs ligadas à defesa da Caatinga e do Cerrado, ao encaminhar para o Congresso um projeto de lei que extingue a Floresta Nacional de Cristópolis, reserva de 12,8 mil hectares situada no município homônimo do extremo-oeste do estado. Criada em 2001 pelo então presidente FHC, a área integra a chamada Matopiba, cobiçada fronteira agrícola formada por Bahia, Piauí, Maranhão e Tocantins.

Tripla ação
Relator da Operação Faroeste no Superior Tribunal de Justiça (STJ), o ministro Og Fernandes está prestes a julgar simultaneamente três ações penais (APn's 940, 986 e 987) movidas contra acusados de participar do esquema de grilagem e venda de sentenças no Judiciário baiano. Todas possuem no rol de réus desembargadores, juízes, filhos de magistrados, advogados, empresários e operadores de propina.

Pote de mágoa
Uma postagem publicada ontem pelo deputado federal Bacelar (PV) em seu perfil no Twitter foi traduzida por políticos da base governista como resposta velada a uma rasteira. Em citação ao escritor alemão Goethe, Bacelar disparou: "Ingratidão é uma forma de fraqueza. Jamais conheci homem de valor que fosse ingrato".

Estive na sede da Companhia Nacional de Abastecimento na Bahia, onde me reuni com o superintendente regional, Emanuel Carneiro, para garantir recursos que fortaleçam a agricultura familiar no estado
Márcio Marinho, deputado federal do Republicanos

Correio 24hs

Deixe uma resposta