Rivais na briga pelo quadro de medalhas olímpicas saem na frente do Brasil em preparação

A pandemia mundial do coronavírus adiou os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 para o ano que vem e ainda refletirá nos resultados das disputas. A projeção é que o Brasil brigue pelo 13° lugar no quadro de medalhas com países como Canadá, Nova Zelândia e Espanha. Enquanto os brasileiros ainda buscam uma saída para o contágio em massa, os adversários já largaram na frente em termos de preparação para o grande evento do esporte. A forma como cada um lidou com o problema será decisivo para o desempenho no Japão em 2021. 

O Brasil segue afundado numa crise política, econômica e a saúde pública a beira do colapso. Com o crescimento do contágio no país, os clubes e os centros de treinamentos seguem fechados, com exceção da Sociedade de Ginástica de Porto Alegre (Sogipa), que retornou às atividades após ter o aval tanto do governo estadual quanto da prefeitura.

Já a Nova Zelândia, que praticamente zerou a transmissão do vírus, anunciou um aporte financeiro de US$ 157 milhões, o equivalente a R$ 1,1 bilhão, para os próximos quatro anos para todo o esporte, incluindo as modalidades não-olímpicas. Desse total, R$ 250 milhões será usado ainda em 2020. Além disso, os atletas de remo, canoagem e vela, responsáveis por boa parte das medalhas do país, estão retomando os treinos aos poucos. Enquanto o Canadá está em processo de flexibilização da quarentena desde o final de abril e também abriu os cofres destinando 72 milhões de dólares canadenses (R$ 290 milhões) para o esporte olímpico e amador. Um dos países mais afetados pela pandemia, a Espanha conseguiu achatar a curvas de mortes pela doença e também está reabrindo os centros de treinamentos aos poucos. O governo espanhol também confirmou a manutenção dos seus projetos olímpicos até os Jogos de 2021.

Nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, o Brasil terminou na 13ª posição no quadro de medalhas com sete ouros, seis pratas e seis bronzes, um total de 19 conquistas. A Espanha veio logo na sequência com sete ouros, quatro pratas e seis bronzes. Já a Nova Zelândia ficou no 19° lugar com quatro ouros, nove pratas e cinco bronzes. Por último desse quarteto, ocupando a 20ª colocação, o Canadá voltou para casa com quatro ouros, três pratas e 15 bronzes na bagagem.

BAHIA NOTICIAS


Deixe uma resposta