Polícia chama motorista de Rodrigo Mussi após contradições em depoimento; entenda

O motorista do carro por aplicativo envolvido no acidente que feriu Rodrigo Mussi será ouvido novamente nesta terça (5) no 51º Distrito Policial (DP), Rio Pequeno. O caso é apurado como lesão corporal culposa na direção de veículo automotor – quando não há a intenção de causar o acidente. O novo interrogatório acontecerá após algumas contradições no depoimento anterior de Kaique Reis.

De acordo com o Jornal Metrópoles, o motorista parceiro da 99 informou à polícia que a viagem teria começado à 1h30, quando o acidente aconteceu por volta das 4h. Com base na versão de Kaique, obtida através do boletim de ocorrência, o percurso teria durado três horas. O trajeto, em horário de pico, duraria aproximadamente 30 minutos.

O ex-BBB também foi identificado como desconhecido quando deu entrada no hospital, uma vez que, segundo o depoimento, não havia sido reconhecido pelo condutor. O nome do cliente, entretanto, é mostrado quando o motorista aceita a viagem pelo aplicativo.

Além disso, o celular do ex-BBB não foi encontrado pela perícia policial, pois estava com Kaíque. Ele não atendeu às ligações dos parentes de Rodrigo durante a quinta-feira, dia do acidente. Ao tomarem o celular de volta, a família percebeu que o aparelho havia sido alvo de tentativas de desbloqueio.

Leia mais:

Correio 24hs

Deixe uma resposta