Petraglia diz que Santos quebrou, detona clubes e exalta projeto do Athletico-PR

O presidente Mario Celso Petraglia definiu o projeto do Athletico-PR como o maior do Brasil. Durante entrevista coletiva nesta segunda-feira (27) da apresentação do volante Fernadinho, o dirigente detonou a condição financeira dos outros clubes brasileiros e declarou que o Santos está quebrado. "Não tem nenhum projeto… Façam uma análise do Rio Grande (do Sul) ao Nordeste, para não falar do Norte do Brasil porque realmente… Se tem algum projeto com a viabilidade do Athletico Paranaense. Pegue os dois gaúchos: endividados. Problema deles, não temos nada com isso, e isso não me compete analisar. Fazemos o benchmark de todos os clubes todos os anos. Analisamos todos os balanços. Daí o Paraná, não vou falar dos coirmãos, vocês conhecem muito bem. Pulei Santa Catarina porque não tem representatividade de clubes grandes", afirmou. "Aí você vai para São Paulo. Falar em Santos? O Athletico passou o Santos de trator. Não passou naquilo que vocês têm consciência que levam anos, décadas, que é a formação da torcida. Mas, no resto, o que o Santos significa perto do Athletico Paranaense? O Santos não tem teto. Baixou seu teto porque está quebrado. O Corinthians baixou seu teto porque está com problema. O São Paulo baixou seu teto porque está com problema, tanto que o Daniel (Alves) saiu de lá porque o salário era muito alto. Ainda quem mantém um teto alto é o Palmeiras pela mecenas que tem. A Leila quer ser campeã do mundo porque é uma piada, um meme, o Palmeiras não é campeão do mundo, e ela quer quebrar isso (risos). E vá para o Rio de Janeiro: Flamengo, Fluminense, Botafogo, Vasco… Vá para Minas Gerais e depois esqueça o resto. Não há projeto maior que o nosso. Absolutamente não há. Vocês vão ver isso se tivermos a competência de realizar o que está projetado. Vocês vão ver que não é uma falácia o que estou dizendo. É uma realidade dos fatos. Nós nos preparamos para isso. Mas isso é uma frase que copei do Collor de Mello: o tempo é o senhor da razão", completou. O discurso de Petraglia foi devido a uma pergunta feita para Fernandinho sobre o motivo de ter escolhido o Athletico-PR. O volante deixou o inglês Manchester City recentemente após o encerramento do contrato. Revelado na base do PSTC, de Londrina, ele jogou no Furacão entre 2002 e 2005, antes de chegar na Europa contratado pelo Shaktar Donetsk, da Ucrânia, onde atuou por oito temporadas, até ir para o clube de Manchester. Livre no mercado, ele chegou a receber propostas de outros clubes brasileiros e também do Oriente Médio, além de sondagens de Atlético-MG, Corinthians, Botafogo, Flamengo e Palmeias, antes de definir o retorno ao Rubro-Negro paranaense. "Sem dúvida estou realizando um desejo pessoal, um sonho de voltar a vestir a camisa do Athletico. Estabelecer uma marca que encerrarei minha carreira jogando por apenas três clubes: dois na Europa e um no Brasil", disse o atleta. "Para mim, me desconforta muito que "ele teve ofertas de clubes grandes". Nosso clube é grande. Teve ofertas de clubes grandes você afirmou. Ele optou por um clube grande e todo o projeto que representa o Athletico", respondeu Petraglia. Ainda sem Fernandinho, o Athletico-PR entra em campo nesta terça (28), às 21h30, na Arena da Baixada, para encarar o Libertad, do Paraguai, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. O Furacão também está na mesma fase da Copa do Brasil e venceu o Bahia por 2 a 1 no primeiro encontro na Arena Fonte Nova e a decisão da vaga será no dia 12 de julho, em Curitiba. No Brasileirão, o time paranaense é o terceiro colocado com 24 pontos, cinco a menos do que o líder Palmeiras.Bahia Noticias

Deixe uma resposta