‘Perdemos para nós mesmos’, diz Geninho, após derrota do Vitória para o Floresta

"Eu disse para o nosso time, quando terminou o jogo, que perdemos para nós mesmos", afirmou o técnico Geninho, neste sábado (17), após a derrota do Vitória para o Floresta. Foi o segundo revés seguido do Leão na Série C, e o clube segue sem somar pontos na competição. "No primeiro tempo nós não jogamos. Foi muito ruim. O time entrou nervoso, errava passes. Tivemos, apesar de o adversário só ter dado um chute ao gol no primeiro tempo, pouquíssimas chances (…) No segundo tempo, com um jogador a menos no adversário, é claro que te possibilita N coisas. Mesmo se tivesse 11 contra 11, eu teria que mexer. Eu teria que deixar minha equipe mais ofensiva. Eu digo que perdemos para nós mesmos porque, nas minhas contas, tivemos cinco ou seis chances quase dentro da pequena área (…) No segundo tempo acho que fizemos uma excelente partida. Massacramos. Foi o jogo do gato e do rato", analisou o comandante. A evolução na etapa final, de acordo com Geninho, o faz pensar sobre o esquema com três zagueiros, que não deu certo neste sábado. "Foram tempos distintos, diferentes. Claro que me faz pensar. Porque o time não produziu em uma maneira de jogar e produziu melhor da outra. Eu tenho que colocar na balança o fato de eu ter jogado com um homem a mais. Me facilitou uma análise, o adversário perdeu um pouco de punch de ataque, optou só por se defender", destacou. "Para jogar com três zagueiros algumas coisas precisam funcionar, e hoje elas não funcionaram. Eu não sou teimoso, claro que em algum momento eu preciso repensar. Eu preciso ter saída. O João Pedro é um excelente jogador, mas não tem saída. O Eduardo está jogando de auxiliar de zagueiro. Eu quero ele do meio para frente. Ele pegou uma mania de jogar no meu campo. Ele tem que fazer o que o Dionísio fez, encostando na frente. Ele está jogando um futebol improdutivo. Estamos trocando o pneu de um carro que está andando", complementou. Na visão dele, o nervosismo pode estar sendo crucial para as atuações abaixo. "A gente sente que nosso time está jogando muito pressionado, com uma carga de cobrança muito grande. Acho que Mateus [Moraes] é um excelente jogador. O Rafael [Ribeiro] tem mais dificuldade, mas o Mateus é excelente. No começo do jogo ele tentou enfiar duas bolas para o Salomão e errou, a torcida pegou no pé e ele parou de jogar. Foi só o com bola curta. O mesmo aconteceu com o Páscoa. Então o jogador está se inibindo de jogar. Acho que o time se inibiu. É um time que está jogando nervoso, pressionado, e isso leva ao erro", ponderou. O Vitória volta a campo na próxima terça-feira (20), contra o Fortaleza, pela terceira fase da Copa do Brasil, no Castelão.Bahia Noticias

Deixe uma resposta