Mulher morta ao invadir Capitólio foi baleada pela polícia legislativa

Há mais 3 mortos, mas não se sabe se estavam dentro do prédio.

Um dia após a invasão do Capitólio por partidários do presidente Donald Trump, o mundo ainda tenta entender o que realmente aconteceu.

As autoridades locais confirmaram que a mulher morta na quarta-feira (6), após participar da invasão ao prédio, foi realmente baleada pela polícia do Congresso. Outros três mortos foram anunciados, mas até agora, a polícia não confirmou se eles estavam dentro do prédio e em que condições morreram.

Após a análise de todos os recursos, o parlamento americano certificou oficialmente os resultados da eleição presidencial de 23 de novembro.

Minutos depois, Trump pela primeira vez admitiu que vai deixar o poder e prometeu uma transição dentro da normalidade.

Já do lado do presidente eleito, Joe Biden, o democrata avança na formação de sua equipe e confirmou que vai nomear o jurista Merrick Garland como procurador-geral, o equivalente ao ministro da Justiça nos Estados Unidos.

O jurista é conhecido como um liberal moderado e não está alinhado a nenhum partido político. Agência Brasil

Deixe uma resposta