Monark anuncia volta aos podcasts ‘com mais liberdade do que nunca’

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Bruno Aiub, 31, mais conhecido como Monark, anunciou nesta quarta-feira (23) que está "voltando de férias". O youtuber disse, via Instagram Stories, que terá um novo podcast e em breve fará "um anúncio importante" para explicar o projeto.

"Estou voltando à ativa", disse ele, mostrando a sala onde deverá ser gravado o novo podcast. "Muito em breve começo novamente meu podcast. É um novo podcast dessa vez. E eu conto com todos vocês aí, com a sua audiência, para a gente continuar tendo conversas legais e para fazer o que eu amo, que é o que eu quero fazer".

Na tarde desta terça (22), ele já havia anunciado no Twitter o seu retorno. "Minhas férias acabaram, se preparem que eu to de volta, agora com mais liberdade do que nunca!", escreveu.

No tuíte seguinte, ele chegou a falar sobre "censura" ao comentar a chegada da plataforma de vídeos Rumble ao Brasil. Isso porque, em meados de fevereiro, após defender o direito de haver um partido nazista no Brasil e ser desligado do podcast Flow, o podcaster disse que o YouTube suspendeu a monetização do seu canal na plataforma e o proibiu de criar um novo para burlar a restrição.

Isso significa que ele não consegue mais ganhar dinheiro na plataforma. A medida é válida por tempo indeterminado e contempla também os vídeos antigos publicados pelo apresentador.

"Estou sofrendo perseguição política. Eles me proibiram de criar um novo canal para poder continuar minha vida, pessoas poderosas querem me destruir. Liberdade de expressão morreu", escreveu no Twitter àquela época. A monetização é a forma como os youtubers são remunerados –ela acontece de diferentes formas como a partir das visualizações e cliques nos anúncios publicitários veiculados nos vídeos.

ENTENDA O CASO

No dia 7 de fevereiro, Monark recebia os deputados federais Kim Kataguiri (Podemos) e Tabata Amaral (PSB) no Flow Podcast quando afirmou que "a esquerda radical tem muito mais espaço do que a direita radical". "As duas tinham que ter espaço, na minha opinião. Eu acho que o nazista tinha que ter o partido nazista reconhecido pela lei", afirmou.

No dia seguinte, após a repercussão negativa e perda de patrocinadores, ele foi desligado do Flow Podcast. Os Estúdios Flow também divulgaram nota pedindo desculpas, em "especial à comunidade judaica", e informando sobre a retirada do ar do episódio.

Fonte: Notícias ao Minuto

Deixe uma resposta