Itália perde de zebra e está fora da Copa pela 2ª vez seguida

Jogadores da Macedônia comemoram, enquanto Tonali, da Itália, lamenta

A Itália viu o sonho do pentacampeonato mundial acabar de forma precoce, com direito a requintes de crueldade. No duelo contra a Macedônia do Norte, pela repescagem das Eliminatórias Europeias, a Azzurra dominou do início ao fim, mas sofreu um gol de Trajkovski nos acréscimos e foi eliminada nesta quinta-feira (24).

É a segunda vez seguida que a Itália fica de fora de uma Copa do Mundo. Apenas nove meses depois de faturar a Eurocopa, em Wembley, diante da favorita Inglaterra, a equipe voltou a decepcionar diante de sua torcida – assim como aconteceu em 2017, em Milão, contra a Suécia.

Campeã em 1934, 1938, 1982 e 2006, a Azzurra coleciona fracassos desde o último título. Em 2010 e 2014, foi eliminada na primeira fase. Em 2018, não se classificou, cenário que se repete agora, em 2022.

O duelo, no Estádio Renzo Barbera, em Palermo, parecia até que iria ter goleada italiana. A tetracampeã criou muitas chances e chutou mais de 30 vezes ao gol. Em uma das melhores chances, o goleiro Dimitrievski saiu errado com os pés e entregou a bola para Berardi, aos 29 minutos. Mas, mesmo com o gol vazio, o italiano chutou muito fraco e permitiu a recuperação do arqueiro rival, que se reposicionou e defendeu.

Já a Macedônia, com apenas 34% de posse de bola e só quatro finalizações, foi efetiva. Depois de se segurar como podia, marcou aos 47 do segundo tempo, com um belo chute de Trajkovski de fora da área, e segue viva na briga pela vaga no Mundial. Vale lembrar que os macedônios nunca participaram de uma edição da Copa, e tentam a primeira classificação da história.

Para isso, a Macedônia precisará ganhar de Portugal, que também avançou ao bater a Turquia, por 3×1, no Estádio do Dragão. O confronto decisivo está marcado para a próxima terça-feira (29), às 16h30, mais uma vez no Porto.

A vitória portuguesa, aliás, teve dois gols brasileiros: Otávio e Matheus Nunes. O primeiro foi surpresa na escalação titular, mas não desperdiçou a chance: aos 14 minutos, o meia aproveitou o rebote de uma finalização na trave de Bernardo Ramos para abrir o placar.

Aos 41, após jogada com participação de todo o ataque de Portugal – e que começou com um toque de letra de Cristiano Ronaldo -, Diogo Jota testou firme para o fundo das redes e ampliou.

O segundo tempo, porém, teve os turcos mais agressivos. Aos 19 minutos, zaga portuguesa dormiu, e os visitantes aproveitaram: Yilmaz tabelou com Ünder e balançou as redes, deixando o placar em 2×1.

Aos 35, parecia que o empate da Turquia viria, depois de Jose Fonte cometer falta dentro da área. Inicialmente, o árbitro mandou seguir, mas o VAR entrou em ação e a penalidade foi marcada após revisão no monitor. Yilmaz cobrou, e mandou por cima do travessão.

Desanimados, os turcos levaram o terceiro gol aos 48, marcado por mais um brasileiro: Matheus Nunes, que já recusou convocação de Tite.

Fonte: Correio 24hs

Deixe uma resposta