Interpol segura inclusão de bolsonaristas em lista de procurados

Fot: Alessandro Dantas/Ag. Senado

A Interpol ainda não atendeu os pedidos das autoridades brasileiras para incluir bolsonaristas investigados pelo STF (Supremo Tribunal Federal) na sua lista de procurados. O caminhoneiro Marcos Gomes, o Zé Trovão, que já se entregou à Polícia Federal, não foi incluído na lista e o blogueiro Allan dos Santos também segue fora da difusão vermelha.

Em geral, pedidos de autoridades dos países, são atendidos de maneira célere, o que não ocorreu dessa vez, de forma inédita. Zé Trovão e Allan dos Santos são alvos de investigações cujo relator é o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo.

Allan dos Santos teve a prisão e extradição decretada em 5 de outubro no inquérito que apura a existência de uma milícia digital para atacar a democracia e as instituições. O Brasil acionou os Estados Unidos, onde o influenciador mora, por meio do DRCI (Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional), e enviou o pedido à Interpol para inclusão na difusão vermelha.

Segundo a normativa do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), a difusão vermelha deve ser acessada em casos de “ordem de prisão por decisão judicial criminal definitiva, de sentença de pronúncia ou de qualquer caso de prisão preventiva em processo crime”.

No entanto, a Interpol tem feito uma análise jurídica dos casos para evitar ações contra supostos perseguidos políticos. Com isso, ainda não houve resposta definitiva até o momento. De acordo com informações de bastidores obtidas pela Folha de S.Paulo, os documentos ainda estão sendo verificados. A Tarde

Deixe uma resposta