Homens armados invadem igreja católica na Nigéria e matam ao menos 50

Homens armados atacaram uma igreja católica no sudoeste da Nigéria durante a missa da manhã deste domingo, 5, (madrugada no Brasil), matando pelo menos 50 pessoas, incluindo mulheres e crianças, de acordo médicos e reportagens da mídia local. Vários meios de comunicação nigerianos disseram que homens armados dispararam contra fiéis e detonaram explosivos na Igreja Católica de São Francisco, na cidade de Owo. A identidade e o motivo dos atacantes não ficaram claros até agora.

As autoridades não deram detalhes do ataque. Funmilayo Ibukun Odunlami, porta-voz da polícia do Estado de Ondo, disse que a polícia emitirá uma nova declaração neste domingo. "É tão triste que, enquanto a Santa Missa estava acontecendo, homens armados desconhecidos atacaram a Igreja Católica de São Francisco… deixando muitos mortos e muitos outros feridos e a Igreja violada", disse o porta-voz da Igreja Católica na Nigéria, Reverendo Augustine Ikwu.

Ikwu disse que o bispo e os padres da paróquia sobreviveram ilesos ao ataque. Um médico de um hospital em Owo disse que pelo menos 50 corpos foram levados para dois hospitais da cidade devido ao ataque. O médico, que não quis ser identificado por não estar autorizado a falar com a imprensa, disse ainda que os hospitais precisam de doações de sangue para tratar os feridos.

O presidente Muhammadu Buhari condenou o ataque, chamando-o de "hediondo", e o Vaticano disse que o papa Francisco estava orando pelas vítimas que foram "dolorosamente atingidas em um momento de celebração".

Há 12 anos, a Nigéria enfrenta uma insurreição jihadista no nordeste do país, enquanto grupos criminosos cometem sequestros envolvendo grandes quantidades de pessoas no noroeste e grupos separatistas operam no sudeste.

No sudoeste, ataques como este são raros. O governador do Estado de Ondo, Arakunrin Oluwarotimi Akeredolu, interrompeu uma viagem à capital Abuja e retornou a Ondo após o ataque. "Vamos comprometer todos os recursos disponíveis para caçar esses assaltantes e fazê-los pagar", disse ele em comunicado.

Correio 24hs

Deixe uma resposta