Geninho lamenta gramado da estreia do Vitória na Série C: ‘Foi um jogo feio’

Geninho lamenta derrota do Vitória para o Remo na estreia da Série C

O técnico Geninho não comemorou um triunfo na estreia da Série C do Brasileiro como gostaria, mas também não ficou decepcionado com seus jogadores. Na avaliação do treinador do Vitória, a derrota por 2×1 para o Remo, na noite deste sábado (9), também foi consequência da má condição do gramado. O campo do estádio Baenão, em Belém, estava encharcado e, em boa parte do jogo, foi difícil ver a bola rolar sem que parasse nas muitas poças de água que se formaram dentro das quatro linhas.

"Temos que ter muita calma para analisar o jogo de hoje, porque foi um jogo atípico. Foi um jogo em que quase que uma tempestade estragou o que poderia ser um bom espetáculo. No primeiro tempo, não tivemos jogo. Tivemos um pouquinho de jogo no segundo tempo, com o campo ainda bastante ruim", afirmou o treinador.

"Difícil fazer avaliação em cima de um campo desse. Praticamente tudo aquilo que trabalhamos em duas semanas a gente pôde executar muito pouco, porque a bola não rodava. Você pegava e dava um chutão, muita falta, dividida. Não foi só o Vitória que teve essa dificuldade, o Remo também teve. Foi um jogo feio. Muito ruim", completou.

Para Geninho, o Leão teve um rendimento semelhante ao do adversário. O Remo abriu o placar com Leonan, ainda no primeiro tempo. Brenner, de pênalti, ampliou na etapa final. Depois, Alisson Santos diminuiu para o Vitória.

"A determinação dessa equipe que enfrentou essa partida. Enfrentamos um adversário muito bem montado, arrumado, que acabou de ser campeão no seu estado, uma torcida empolgada, empurrando esse time. Um time que tem investido bastante no seu elenco. Acho que fizemos pelo menos um jogo igual. Perdemos, mas fizemos um jogo igual, porque tivemos algumas chances de, de repente, fazer o gol. O goleiro do adversário fez, quase que numa sequência, quatro defesas importantes no final do jogo, quando o jogo ainda estava 1×0. Mas você tira lições de que temos que continuar trabalhando, melhorando, também a parte ofensiva, que é fundamental. Para você ganhar, tem que fazer gol", pontuou o técnico rubro-negro.

Geninho destacou o aproveitamento dos atacantes Luidy e Alisson Santos, que iniciaram a partida no banco de reserva e fizeram o time crescer quando entraram em campo no segundo tempo.

"O Luidy e o Alisson deram um volume maior ofensivo para a equipe. Mas num momento em que você tem que analisar com muita calma, o adversário já mais desgastado, em cima de um campo pesado. Mas também gostei do desempenho deles, é assim que o jogador começa a ganhar espaço na equipe. Quando entra, entra produzindo e passar a trazer ao treinador opções. É muito cedo para falar o que eu vou fazer no próximo jogo, temos uma semana de trabalho. Vamos analisar com calma, quero ver esse jogo com calma par ver o que fizemos de bom, de errado", ponderou.

O técnico do Vitória também comentou a estreia do zagueiro Rafael Ribeiro, que chegou à Toca do Leão na segunda-feira (4) e foi titular compondo o trio da defesa com Ewerton Páscoa e Mateus Moraes.

"Foi bem, dentro daquilo que tinha que fazer como defensor. Ele jogou praticamente como todos os outros zagueiros, tanto Páscoa como Mateus, e os jogadores do Remo, destruindo. Chegando e marcando e tirando a bola da zona do perigo, porque essa bola não andava. Um alagadiço. Às vezes, você via a grama, mas, embaixo, era só água. A bola não conseguia rodar um metro. Acho que ele cumpriu bem a tarefa dele de defensor", elogiou Geninho.

O Vitória volta a campo pela Série C do Brasileiro no sábado (16), às 20h30, contra o Floresta, no Barradão.

Correio 24hs

Deixe uma resposta