Fundação de Pastor Isidório é denunciada por castigos a internos em matéria da Globo

A Fundação Doutor Jesus, do deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante), foi denunciada em uma reportagem do programa Fantástico, da TV Globo, neste domingo (19), por práticas que violam os direitos humanos.

A matéria diz que os dependentes químicos atendidos pela instituição são humilhados, sofrendo uma rotina de castigos, tendo sua orientação sexual reprimida, além de também não terem sua liberdade religiosa respeitada. Segundo um ex-interno, pessoas em surto ficam amarrados. "Ele amarra e coloca a pessoa lá na muriçoca", contou

Os internos contam que são deixados em um espaço de castigo chamado de "corredor" quando fazem algo considerado errado, sofrendo também por receber menos comida. "Você não sai do corredor para nada. Só para ir no banheiro e beber água", contou um deles, que teve identidade preservada. "Aí come arroz, três dias de arroz". Outra punição para internos considerados indisciplinados é ler a Bíblia o dia todo.

As cenas mostram o Pastor Sargento Isidório, que se diz "ex-homossexual", zombando da orientação sexual dos internos. “Cabelinho quer rapá. Vai procurar um jegue. Você nasceu foi macho", diz ele. Em outro momento, o deputado fala de pessoas transgênero, associadas com algo "diabólico". “Você deixou o Diabo lhe enganar. Você deixou o médico cortar seu pé de sofá. Ela só pensa que tem bilau. O Diabo diz ao homem que ele pode ser mulher, aí ele se veste todo, bota silicone”. Os homossexuais da fundação dormem em uma ala separada, chamada de "ala dos resistentes".

Sargento Isidório também faz pouco da medicina. "Meu psiquiatra chegou", diz, brandindo um facão. Ele faz um trocadilho com o nome do medicamento "Rivotril", usado para tratamento de transtornos de ansiedade, entre outros. "Aqui não é rivotril, aqui não é piquetril,aqui não é desgraçatril, misériatril, aqui é deustril, jesustril e espírito santotril", afirma, destacando os valores religiosos da fundação, em oposição aos medicamentos.

Nesta segunda (20), o deputado usou as redes sociais para ironizar a matéria. “Após a reportagem do Fantástico, veja que FANTÁSTICO o carinho que os internos têm com seu dito ‘torturador'”, escreveu ele, em um post em que aparece sendo aplaudido pelos acolhidos.

Correio 24hs

Deixe uma resposta