Estreia de Pantanal na Globo supera Um Lugar ao Sol e ofusca até BBB 22

Novela estreou nesta segunda (28), na Globo

O ibope da estreia de Pantanal na Globo superou a audiência de todos os capítulos de Um Lugar ao Sol (2021). A nova novela das nove da Globo bateu 28,3 pontos na Grande São Paulo, enquanto o maior índice da antecessora foi de 25,4. O remake do folhetim clássico ofuscou até o BBB 22, que registrou apenas 22,7 pontos

De acordo com dados da Kantar Ibope Media obtidos pelo Notícias da TV, a Globo conquistou sua melhor média-dia (7h-0h) de segunda-feira neste ano: 15,1 pontos na região paulista

A adaptação de Bruno Luperi da trama escrita originalmente por Benedito Ruy Barbosa teve ampla divulgação ao longo da programação da emissora nos últimos meses. Ontem, Ana Maria Braga se fantasiou de onça pintada no Mais Você. Fátima Bernardes também usou trajes com estampa de onça, e diversos comerciais foram exibidos durante o dia inteiro.

Dividida em duas fases, Pantanal mostra a relação do velho Joventino (Irandhir Santos) e seu filho, José Leôncio (Renato Góes/Marcos Palmeira). O pai, que acredita que "a natureza que fala, e fala mais alto que os homens", se torna maior peão do Pantanal e fica mais famosos por trazer os bois selvagens, os marruás, por meio de feitiço. Em determinado momento, Joventino some inexplicavelmente, sem uma pista sequer.

As gravações foram feitas no Mato Grosso do Sul e também nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro e contou com esmerada pesquisa da produtora de arte Miriam Saback, a Mirica como é conhecida, que fez um verdadeiro mergulho nesse universo pantaneiro. Sob a direção artística de Rogério Gomes, o Papinha, que deixou a produção após a primeira fase da novela. Quem assume o posto é Gustavo Fernandez.

Irandhir Santos vive Joventino na primeira fase e José Lucas, filho bastardo de José Leôncio, na segunda fase (TV Globo/divulgação)

Conheça os personagens da nova versão da novela:

Joventino Leôncio (Irandhir Santos)
Peão experiente de uma comitiva que toca com maestria, Joventino (Irandhir Santos) faz seu nome levando boiadas pelos sertões do País. Com o filho José Leôncio (Drico Alves/ Renato Góes/ Marcos Palmeira), se estabelece no Pantanal. É um pai amoroso, um homem justo e honesto. Quer começar uma criação de gado à sua maneira e ver a vida caminhar no passo da natureza, não dos homens. Como bom peão, não tem pressa. Sabe que, mais importante que o destino, é a jornada.

José Leôncio (Drico Alves/ Renato Góes/ Marcos Palmeira)
Criado no lombo do cavalo de seu pai, Joventino (Irandhir Santos), cortando em comitiva os interiores deste país, conhece a vida e é talhado em meio à peonada, simples e bronca, apartado de uma figura feminina desde a morte precoce da mãe. O que a vida furta a ele em carinhos, o pai compensa em valores. Após o desaparecimento de Joventino, José Leôncio carrega essa dor a vida inteira. Foi casado com Madeleine (Bruna Linzmeyer/ Karine Teles), com quem teve Jove (Jesuíta Barbosa). E também é pai de Tadeu (José Loreto), fruto de seu relacionamento com Filó (Letícia Salles/ Dira Paes). E será surpreendido com a chegada de um filho desconhecido, José Lucas de Nada (Irandhir Santos).

Filó (Leticia Salles/ Dira Paes)
Filó (Leticia Salles) surge grávida de Tadeu (José Loreto) na fazenda de José Leôncio (Renato Goes/ Marcos Palmeira), onde passa a viver e trabalhar como empregada, mas sempre foi mais que isso. Filó é a alma e o coração daquela casa. É uma mulher religiosa, apegada à sua fé. Após ser expulsa de casa pela mãe aos 12 anos, encontra abrigo em uma currutela, local onde conhece José Leôncio meses antes de procurar por ele na fazenda. Recebe dele emprego, carinho, abrigo e, acima de tudo, proteção

Quim (Chico Teixeira)
Quim (Chico Teixeira) não consegue se furtar de pontuar os seus comentários quase sempre impertinentes, por isso é constantemente reprimido por todos ao seu redor, inclusive por Tião (Fabio Neppo), seu amigo inseparável. Quim e Tião se mantêm firmes e fortes ao lado de José Leôncio, após o desaparecimento de Joventino.

Tião (Fabio Neppo)
Filho da liberdade como todo peão, Tião (Fabio Neppo) se adaptou à vida pantaneira, de lonjuras sem fim e horizontes distantes, onde tudo é possível e nada é necessário. Como todos os que seguem a toada de Joventino – e, mais tarde, a de José Leôncio -, Tião é da confiança dos patrões.

Antero Novaes (Leopoldo Pacheco)
Eloquente, educado e sagaz, Antero (Leopoldo Pacheco) é um tipo tão polido quanto dissimulado. É herdeiro de uma família tradicional da alta sociedade, casado com Mariana (Selma Egrei), com quem tem duas filhas, Madeleine (Bruna Linzmeyer/ Karine Teles) e Irma (Malu Rodrigues/ Camila Morgado).

Mariana Braga Novaes (Selma Egrei)
Intuitiva, observadora e perspicaz, Mariana (Selma Egrei) é uma verdadeira raposa, capaz de antever onde cada passo irá terminar Casada com Antero Novaes, tem duas filhas, Madeleine (Bruna Linzmeyer/ Karine Teles) e Irma (Malu Rodrigues/ Camila Morgado)

Irma Novaes (Malu Rodrigues/ Camila Morgado)
Irma (Malu Rodrigues/ Camila Morgado) é a primogênita da família Novaes, vive sob os cabrestos impostos pela mãe, Mariana, sem liberdade para muita coisa além de obedecer. Na juventude, tem um pudor extremo, sempre muito cordata, obediente. O que ninguém percebe também é o fardo que Mariana impõe a Irma sempre que a usa de sarrafo para a caçula Madeleine (Bruna Linzmeyer/ Karine Teles). Enquanto Madeleine responde com rebeldia, Irma se embrenha cada vez mais no jogo da mãe.

Madeleine Novaes (Bruna Linzmeyer/ Karine Teles)
A provocante Madeleine arrebata corações por onde passa, e, mesmo com a marcação acirrada da mãe, Mariana, vive rodeada de amigos e pretendentes. Madeleine não dá a mínima para normas ou qualquer convenção social que a mãe tenta ditar. Não tem medo de nada, muito menos de jogar alto.

Gustavo (Gabriel Stauffer/ Caco Ciocler)
Os laços entre os Sousa Aranha e os Novaes se estreitariam através do sagrado matrimônio Gustavo (Gabriel Stauffer/ Caco Ciocler) e Madeleine (Bruna Linzmeyer/ Karine Teles). Mestre em análise comportamental, é equilíbrio, lucidez e a razão que Madeleine tanto carece. Ela, a paixão, o desejo e, de certa maneira, o tempero que a vida de Gustavo precisa.

Gil (Enrique Diaz)
Gil tem um jeito brando de ser, sujeito simples, sem muita de cultura nem modos. É um tipo correto, honesto e muito decente, tendo se tornado um ótimo marido, dedicado e atento à sua Maria Marruá (Juliana Paes). É um homem bom que nasceu em um mundo ruim e perverso. É enganado no Sarandi, no Paraná, onde comete um crime que o leva fugido ao Pantanal ao lado de Maria, onde tenta reconstruir sua vida e onde nasce sua filha, Juma (Alanis Guillen).

Juliana Paes é Maria Marruá (TV Globo/divulgação)

Maria Marruá (Juliana Paes)
Era Maria antes de se tornar Marruá. Esposa dócil e dedicada, levava uma vida feliz até enterrar cada um dos três filhos que tinha. Maria "morreu" com eles, de forma que quando chega ao Pantanal ao lado do marido Gil, é um retalho de gente, sem vida, sem alma, sem esperança. Ao engravidar de Juma, recebe a filha com ar de maldição, em um parto na beira do rio com o intuito de colocá-la na canoa e empurrá-la para as águas.

Velho do Rio (Osmar Prado)
Ponto de contato entre o mundo físico e espiritual e a síntese de uma consciência ecológica coletiva, o Velho do Rio (Osmar Prado) é um encantado. Uma espécie de guardião deste paraíso em terra que se chama Pantanal.

Eugênio (Almir Sater)
Condutor de chalana desde que se compreende por gente, Eugênio (Almir Sater) é, como Trindade (Gabriel Sater) e o Velho do Rio, uma figura encantada, mítica, uma entidade que abriga aquela planície alagada.

Tadeu (José Loreto)
Sujeito simples e de poucas palavras, Tadeu (José Loreto) não tem grandes ambições na vida, além de aproveitar a jornada. Na infância, troca os estudos pela garupa do padrinho, José Leôncio, e se torna homem tangendo a boiada junto dele por essas estradas da vida. Recebe de José Leôncio a mesma educação que ele próprio havia recebido do velho Joventino. Mesmo depois que Filó (Leticia Salles/ Dira Paes) diz a José Leôncio que Tadeu é seu filho, a pedido dela, o menino não tem um tratamento diferenciado. Tadeu se apaixona por Guta (Julia Dalavia), enquanto ela está interessada em Jove (Jesuita Barbosa).

Tibério (Guito)
Homem maduro, Tibério (Guito) é do tempo em que a palavra valia mais que qualquer pedaço de papel. Não à toa, logo que José Leôncio o conhece faz dele capataz da sua fazenda mais preciosa: a do Pantanal. Peão de carreira e de rara competência, não fosse Tibério, José Leôncio não teria construído o império que construiu. Isso porque ele é o guardião do paraíso sagrado de José Leôncio e, de certa forma, o lastro que permite o patrão se afastar do Pantanal pelo tempo que for necessário, sem medo do que irá encontrar ao retornar.

Trindade (Gabriel Sater)
Trindade (Gabriel Sater) é violeiro antes de ser peão. E sua sina, como de todo tocador, é seguir o som da viola, e nada mais Assim Trindade compõe o seu caminho, pingando de fazenda em fazenda, trabalhando sempre em troca de provisão e guarida, até o dia em que bate na fazenda de José Leôncio, para o estranhamento de todos. É por caridade de Tibério (Guito), que Trindade pernoita por ali, mas é por obra da sua viola enfeitiçada pelo cramulhão que ele se assenta por lá.

Osmar Prado é o Velho do Rio (TV Globo/divulgação)

Levi (Leandro Lima)
Ávido por conquistar o seu espaço no mundo, Levi (Leandro Lima) vai trabalhar na fazenda de José Leôncio (Marcos Palmeira) para fazer seu nome enquanto peão, não por qualquer simpatia ou lealdade que tenha ao patrão. Tem imenso respeito por José Leôncio, naturalmente, mas no seu íntimo, e lá bem no íntimo mesmo, Levi acredita que pode ser um dia maior do que ele. Ele encara o emprego como uma etapa a mais no seu processo de maturação enquanto peão e sabe que para ter sucesso na sua empreitada é preciso ter humildade e saber a hora de baixar a cabeça.

José Lucas de Nada (Irandhir Santos)
Fruto de uma relação fortuita de José Leôncio com uma prostituta, não é batizado "De Nada" por ódio ou rancor, mas por ser filho de pai desconhecido. José Lucas nunca ganhou nada de mão beijada. Fora educado pela mãe, pela avó, e pelos muitos peões que pousavam pela currutela onde elas trabalhavam. Foi com aqueles homens, simples e rudimentares, que José Lucas aprendeu o ofício de peão e saiu, em companhia deles, para ganhar o mundo como caminhoneiro. Quando chega à fazenda e à vida de José Leôncio, além da surpresa pela semelhança com o velho Joventino, vive ainda a tensão de se interessar por Juma, que tem um relacionamento com seu irmão Jove (Jesuíta Barbosa).

Ari (Claudio Galvan)
Ari é a ponte entre a fazenda do Pantanal e o mundo. Ele quem opera o rádio pelo qual as informações vão e vêm até a fazenda de José Leôncio. Ari é também o piloto que leva e traz o patrão de suas fazendas quando os negócios começam a crescer, e antes de Tadeu (José Loreto) assumir este posto de pilotar a aeronave

Tenório (Murilo Benício)
O perspicaz Tenório (Murilo Benício) é marido de Maria Bruaca (Isabel Teixeira) e pai de Guta (Julia Dalavia), Tenório. Homem prático, sabe que a vida é como se fosse um jogo de cartas marcadas, mas que para ganhar terá de aprender a perder.

Zaquieu (Silvero Pereira)
Mordomo de Mariana, Zaquieu (Silvero Pereira) tem um jeito irreverente, que o ajuda a esconder as cicatrizes de uma vida sofrida. Com vasta experiência, ele se sente realizado em meio a toda aquela pompa e circunstância. E rege com delicadeza ímpar e muita classe à sensível sinfonia que é o lar de uma família de alto padrão.

Correio 24hs

Deixe uma resposta