Estratégias de Anitta rumo ao topo 

Foi o tema da semana. Pelo menos, no mundo incontrolável das redes sociais, onde a expectativa pela chegada de nossa girl from Rio no Top 1 do Spotify mundial superou todas as expectativas. Teve campanha aberta, virote, challenge da dancinha e engajamento de todos os lados, num clima de final de Copa do Mundo difícil de não se deixar contaminar: o já ganhou foi confirmado na manhã de sexta-feira (25) pela plataforma de streaming, que anunciou que o hit Envolver chegou lá, colocando Anitta no lugar nunca ocupado por nenhuma brasileira ou mesmo uma latina.

Ontem, depois de se refazer da emoção inicial, Anitta gravou um vídeo para agradecer aos fãs e reiterar que o sucesso é fruto de sua obstinação de ariana. Aliás, a moça completa 29 anos na próxima quarta e está comemorando antecipadamente com este presentaço: “Metade dos plays é internacional, a viralização começou fora do Brasil, foram muitos anos de persistência, de bater na trave. Agora eu abri essa porta e espero que muitos brasileiros passem por ela, que foi aberta com muita dificuldade”, disse a artista, que deixou para trás a marca de Vai Malandra em 18º lugar, seu melhor resultado até então.

Segundo o Spotify, foram mais de 71 milhões de plays para Envolver, encabeçadas por São Paulo, México, Rio de Janeiro, Santiago e Belo Horizonte – as cidades onde a cantora é mais ouvida. E esse número tem potencial para crescer. Na era da dominação dos feats, o reggaeton surpreendeu por ser uma canção solo e de clip bem mais modesto do que Girl From Rio e Boys don’t Cry, os últimos lançamentos da artista.

A canção em espanhol é composta por Anitta em parceria de Julio M. Gonzales Tavarez, Freddy Montalvo e José Carlos Cruz. Segundo a cantora, a Warner Records, sua nova casa, resistiu em lançá-la. “Disseram que a música não iria a lugar nenhum e que eu não teria forçar para lançar isso sozinha”, contou Anitta, que tem investido fortemente no mercado internacional desde 2014. Envolver conquistou os hermanos e já está no top 20 de todos os países da América Latina e também em países como Portugal e Espanha.

A canção foi lançada em novembro e chegou em março alavancada pelo sucesso da coreografia, que viralizou no Tik Tok e ficou conhecida como “el paso de Anitta”. Até Ana Maria Braga dançou ao vivo. No dia 10 de março, o hit entrou para o Top 100 na posição 92, com mais de 1 milhão de reproduções. Daí em diante foi a contagem regressiva vivida intensamente por Anitta, seus fãs e pelo mercado da música pop.

Bahia unida

Na base estão os fãs, claro. Gente animada como o baiano Digo Emerson de Jesus, que encarou o toró que caiu na última quarta em Salvador para, junto com Gabriel Cipriano e um grupo de quase 15 pessoas, se jogar no chão e fazer a coreografia de Envolver. Emerson presidiu por aqui o flashmob que passou por 8 cidades. “As pessoas filmaram, ficaram um pouco chocadas, né? Porque a gente meio que invadiu o Shopping Barra com faixas, o som que a gente tinha na mão e a gente dançando no meio da praça de alimentação e outros pontos”, contou. Depois, o grupo foi andando e fazendo o flashmob na rua até o Farol.

Também na capital, Wynnie Carvalho definiu que um dos seus primeiros afazeres na última semana era dar play na música. A mesma tarefa de André Domingues na cidade de Caturama, cerca de 700km distante da capital, antes de dormir. Administrador de uma página sobre Anitta (@anittaonlinebr_), ele estava dormindo às 5h e acordando às 7h, puxando os mutirões.

Viver dia e noite por Anitta também é a rotina de André Domingues, 20, em Caturama, no interior da Bahia. “Minha admiração começou observando como ela que veio muito de baixo, mas tinha e tem uma garra tremenda para conquistar o topo”, afirma. Hoje, ele administra uma página de informações sobre a cantora e se sente orgulhoso por vê-la se destacando no mercado internacional. O fato de Anitta estar no topo do Spotify global significa, em suas palavras, uma sensação de dever cumprido como fã.

Mas o que alimenta esse amor? Pesquisadora de cultura dos fãs e mestra em comunicação e cultura contemporâneas pela Ufba, Priscila Santiago acredita que, antes de mais nada, é preciso entender que o fã é uma espécie diferente de consumidor. Não basta só consumir. É preciso fazer parte, contribuir, participar. “É uma entrega genuína e muito bonita. Os artistas que entendem essa troca e usam de forma positiva podem criar um canal de comunicação e de troca, promovendo encontros, interação, entendendo e criando conteúdos voltados para eles porque, quando participam, os fãs são capazes de colocar um artista lá em cima”, detalhou.

Ou seja, quem sabe engajar os fãs com maestria como Larissa Machado, pode ter poderosas ferramentas de marketing nas mãos, até mais efetivas do que campanhas de publicidade feitas por agências.

Brasil no Top 10

1 Envolver (Anitta)

2 Plan A (Paulo Londra)

3 Heat Waves (Glass Animals)

4 Stay (The Kid Lanoi e Justin Bieber)

5 Enemy (Imagine Dragons, JID, Arcane, Language of Legends)

6 Cold Heart (Elton John, Dua Lipa, PNAU)

7 Abcdefu (Gayle)

8 Industry Baby (Lis Nas X, Jack Herlow)

9 Mamilll (Becky G e Karol G)

10 Desesperados (Rauw Alejandro e Chencho Corleone)

Fonte: Correio 24hs

Deixe uma resposta