Em jogo histórico, Atlético de Alagoinhas pega o Fortaleza no Nordestão

O goleiro Fábio Lima deve ser um dos titulares do Atlético diante do Fortaleza

O Atlético de Alagoinhas segue fazendo história na Copa do Nordeste. Pela primeira vez, disputou uma fase de grupos e, logo na estreia, conseguiu a classificação para as quartas de final. Agora, o sonho é continuar avançando, e garantir vaga nas semis.

Para isso, terá que passar, primeiro, pelo Fortaleza. O jogo será em duelo único e eliminatório, e está marcado para esta terça-feira (21), às 21h35. Como o Leão do Pici se classificou na liderança do Grupo A, ganhou a vantagem de decidir a vaga em casa – por isso, o palco será o Castelão. Em caso de empate ao fim dos 90 minutos, a classificação será disputada nos pênaltis.

“É um feito histórico para o clube. Fomos além da expectativa, daquilo que a gente imaginava. Até porque deixamos bem claro, desde o início, que nossa prioridade seria a classificação no Baiano, que nos dava a sustentação financeira e calendário para o ano, então estávamos trabalhando em cima disso. A consequência veio com as boas performances no decorrer da competição, que nos proporcionou chegar a essa classificação inédita. Todos nós muito satisfeitos, torcida empolgada”, comemorou o técnico do Atlético de Alagoinhas, Agnaldo Liz.

Além de chegar à etapa pela primeira vez, o Carcará também fará um duelo inédito. Fundado em 1970, o time nunca enfrentou o Fortaleza, seja pela própria Copa do Nordeste ou mesmo Copa do Brasil e Séries B, C e D do Campeonato Brasileiro.

O adversário, aliás, promete ser duro. Além de ter sido o líder do Grupo A, o Leão do Pici está invicto na temporada. Entre o regional e o Campeonato Cearense – em que é finalista -, o Fortaleza fez 12 jogos, com oito vitórias e quatro empates.

Em um recorte como mandante no Nordestão, o rival fechou a primeira fase com um aproveitamento de 83,3%: três vitórias (5×0 sobre o Sousa, 3×1 sobre o Bahia e 2×0 sobre o CRB) e um empate, no clássico contra o Ceará, por 1×1.

O Atlético de Alagoinhas, por sua vez, fez 18 jogos na temporada, entre o regional, Baianão e Copa do Brasil, e soma até aqui oito triunfos, cinco empates e cinco derrotas.

Pela Copa do Nordeste, o Carcará se classificou na 4ª colocação do Grupo A, com 11 pontos. Como visitante, somou uma vitória (2×1 sobre o Floresta), um empate (1×1 com o Altos) e duas derrotas (1×0 para o Botafogo-PB e 3×0 para o Náutico) – aproveitamento de 33,3%.

O técnico Agnaldo Liz reconhece que o Atlético é a zebra do duelo, mas não quer sentimento de derrotado. Segundo ele, a equipe fará o necessário para avançar na competição.

“É lógico, o adversário tem sua tradição, é favorito. Tem um elenco muito forte, montado para disputar uma Libertadores, vem bem na competição, primeiro colocado. Leva a vantagem para jogar em casa, diante de sua torcida. Mas não vamos esmorecer, achar que somente isso vai nos derrotar. Temos que jogar da forma que estamos jogando, com um bom futebol. Sempre para frente, para vencer, dentro e fora de casa. Equipe está muito motivada. A gente pretende fazer um grande jogo”, afirmou.

“Sabemos que temos um elenco pequeno, muito desgaste nesses últimos jogos, emocional e físico. A gente espera superar tudo isso, jogar um bom futebol e conseguir o resultado. Será difícil, já que é um jogo só, mas estamos confiantes que vamos fazer uma grande apresentação e conseguir passar para a próxima fase”, completou.

Vale lembrar que o atual campeão do regional, o Bahia, foi eliminado na fase de grupos, enquanto o Vitória caiu ainda no pré-Nordestão. Assim, o Atlético de Alagoinhas será o único representante do estado nas quartas.

Bolada em jogo
Caso elimine o Fortaleza e se classifique para a semi, o Atlético de Alagoinhas garante aos cofres mais R$ 350 mil em premiações. Até aqui, o Carcará já levou R$ 640 mil, por ter participado da primeira fase, e R$ 300 mil, por ter chegado às quartas.

A semi, aliás, também é em jogo único e, caso avance, o time baiano enfrentará o vencedor entre Botafogo-PB x Náutico. Mais uma vez, o mando é da equipe melhor classificada na etapa de grupos.

Já a final é disputada em confrontos de ida e volta. O vice-campeão embolsa uma premiação de R$ 500 mil, enquanto o campeão recebe R$ 1 milhão.

Além de disputar a Copa do Nordeste, o Atlético também está na semi do Campeonato Baiano, do qual é o atual campeão. O Carcará avançou na vice-liderança, com 17 pontos – atrás apenas do Jacuipense, com 21 – e irá encarar o Bahia de Feira, em jogos de ida e volta. As datas ainda serão confirmadas pela Federação Bahiana de Futebol.

Para Agnaldo, uma boa atuação diante do Fortaleza pode deixar a confiança ainda melhor para defender o título do Baianão. “Quem sabe a gente consegue passar por esse adversário?! Nos dará uma moral ainda maior para ir para o Campeonato Baiano, nos dois jogos contra o Bahia de Feira e buscar também a nossa classificação para a final”.

Prováveis escalações:

Fortaleza: Max Walef, Tinga, Benevenuto e Titi; Pikachu, Zé Welison (Jussa), Ronald, Lucas Lima e Crispim; Moisés e Romero. Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

Atlético de Alagoinhas: Fábio Lima; Paulinho, Iran, Bremer e Matheus Leal; Lucas Alisson, Leandro Sobral, Dionisio e Miller; Thiaguinho e Jerry. Técnico: Agnaldo Liz.

Fonte: Correio 24hs

Deixe uma resposta