Em jogo de vida ou morte, Bahia precisa vencer Fluminense para seguir respirando

Esquadrão recebe rival carioca na Fonte Nova neste domingo (5); se perder, pode até ser rebaixado ao fim da rodada.

O Bahia chegou a ver a luz no fim do túnel, mas levou uma virada inacreditável do Atlético-MG, por 3×2, diante de quase 30 mil torcedores na Fonte Nova, e permanece em situação dramática no Brasileirão. Agora, vê sua permanência na Série A estar por um fio.

Faltam dois jogos para o tricolor. O primeiro é neste domingo (5), às 16h, contra o Fluminense, em seu último compromisso em casa. Em seguida, fecha o campeonato diante do Fortaleza, na próxima quinta-feira (9), no Castelão. Para que siga na primeira divisão, o foco tem que ser só um: vencer.

Qualquer outro tipo de resultado, seja ele empate ou derrota, deixa a guerra pela permanência ainda mais complicada para o Bahia, que está na 17ª colocação, com 40 pontos, três a menos do que o Cuiabá, primeiro time fora da zona de rebaixamento. Nesse cenário, o tricolor corre risco de ser rebaixado ao fim da rodada, segunda-feira, a depender dos resultados do Cuiabá, que recebe o Fortaleza, e do Juventude, que visita o São Paulo. Já uma vitória renova a esperança, pois assim o Bahia dorme em 15º lugar neste domingo e vai secar pelo menos um dos dois concorrentes diretos no dia seguinte para se manter fora do Z4.

Diante o Fluminense, há uma notícia boa. O tricolor carioca não ganha um jogo fora do Rio de Janeiro desde o dia 17 de outubro, quando bateu o Athletico-PR por 1×0. De lá para cá, o Flu fez cinco jogos como visitante e perdeu todos: Santos (2×0), Ceará (1×0), Grêmio (1×0), Juventude (1×0) e Atlético Mineiro (2×1).

Derrota, aliás, é o resultado que o Flu mais acumulou longe do seu território na Série A – foram 10 ao todo, além de quatro empates e quatro vitórias. Uma campanha que coloca o rival apenas como o 13º visitante do torneio. No entanto, com 51 pontos no geral, o Fluminense está em 7º lugar e a um triunfo de garantir vaga na Copa Libertadores. Portanto, se ganhar na Fonte Nova completa a missão.

O Bahia, por sua vez, cambaleou como mandante e aparece só na 15ª posição neste quesito. Recentemente, vinha fazendo uma boa sequência na Fonte Nova, com três triunfos e dois empates, até que veio a derrota para o Galo.

Despedida?

A partida contra o Fluminense também surge como provável despedida da torcida com um dos principais jogadores do Bahia. O atacante Gilberto tem contrato só até o fim do mês e a renovação não avançou. Como o compromisso seguinte é em Fortaleza, este pode ser o último jogo do artilheiro do Esquadrão na Fonte Nova. O Fluminense, por sinal, aparece como um dos times especulados como interessados no centroavante.

Aos 32 anos, Gilberto chegou ao Bahia em 2018 e, desde então, entrou em campo 187 vezes, marcando 81 gols. Só na atual temporada, balançou as redes 24 vezes, sendo 13 na Série A – o que coloca o camisa 9 como terceiro artilheiro do Brasileirão, atrás de Hulk, do campeão Atlético, com 18 gols, e de Michael, do Flamengo, que tem 14.

O atacante deve ser um dos titulares para enfrentar o Flu. O técnico Guto Ferreira, no entanto, terá dois desfalques e um retorno. Os meias Mugni e Daniel receberam o terceiro cartão amarelo diante do Galo e cumprem suspensão. Já Juninho Capixaba, que havia sido expulso contra o Atlético-GO, está novamente à disposição.

A saída de Mugni deixa uma vaga aberta no meio-campo. O volante Edson, para mais marcação, ou o próprio Juninho Capixaba, que tem jogado de ponta, são opções. A provável escalação do Bahia tem: Danilo Fernandes, Nino Paraíba, Conti, Luiz Otávio e Matheus Bahia; Patrick, Edson e Rodriguinho; Rossi, Gilberto e Raí Nascimento.

Já o Fluminense do técnico Marcão tem problemas na zaga. David Braz, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Nino, lesionado, são desfalques. Assim, o setor será formado por Luccas Claro e Manoel. Por outro lado, Fred foi julgado pelo STJD e liberado para jogar após levar só advertência.

A provável escalação do Fluminense tem: Marcos Felipe, Samuel Xavier, Manoel, Luccas Claro e Marlon; André, Wellington e Yago Felipe; Luiz Henrique, Fred e Caio Paulista. FN

Deixe uma resposta