Combate a Covid-19: Estudantes de Ilhéus doam sabão produzido por eles para hospitais

Preocupados com o avanço do coronavírus da Bahia, estudantes de Ilhéus, cidade do sul da Bahia, têm doado sabão em líquido produzido por eles para hospitais e também para os bombeiros. Até este sábado (11), quando o estado registrou mais de 600 casos com 21 mortes por causa da doença, cerca de 230 litros já haviam sido doados pelos alunos.

A ideia dos alunos do Centro Estadual de Educação Profissional Álvaro Melo Vieira de produzir sabão começou ainda em 2019. Na ocasião, a preocupação era de que as pessoas não descartassem o óleo de cozinha de forma inadequada. O produto é desenvolvido a partir da doação do óleo pela comunidade.

“A ideia surgiu com a preocupação nossa e dos alunos de evitar o descarte irregular do óleo de fritura. Então, a partir disso, para defesa do meio ambiente, a gente começou a fazer uma campanha para que a comunidade doasse óleo de fritura para não descartar inadequadamente”, disse Joilson Sampaio, professor de química que ajuda na produção do produto.

Apesar disso, desde quando começaram os casos da doença no estado, eles intensificaram a produção para ajudar hospitais e outros locais que precisam do produtor. Uma das forma indicadas para não ser contaminado pelo coronavírus é lavar sempre as mãos com água e sabão.

“A gente conseguiu desenvolver um sabão n laboratório com o PH bastante aceitável. É para uso geral. Quanto serve para lavar os ambientes, quanto serve para lavar as mãos. Inclusive, nos comprometemos semanalmente fazer uma remessa para eles”, afirmou Joilson.

Desde então, 100 litros já foram doados para o Hospital Regional Costa do Cacu, e 130 para o 5º GBM, ambos em Ilhéus. A estudante Kleyane Santos disse que sente “orgulhosa por isso. Por estar fazendo um sabão e vendo que está ajudando outras pessoas”.

Conforme Jorge Ney Argolo, diretor do centro, o objetivo é produzir 1000 litros do produto.

“O intuito do nosso projeto é fazer com que nós possamos produzir sabão para atender todas instituições municipais e estaduais que estão ao nosso alcance. São 60 litros diários. A pretensão é doar 1000 litros”, afirmou. (G1/Ba)

Deixe uma resposta