Bolsonaro exonera nove ministros para disputar eleições 2022; confira lista

O presidente Jair Bolsonaro seguiu os nomes previamente anunciados em uma live no dia 11 de março e exonerou nove ministros dos seus cargos do governo para disputa eleitoral de 2022. A publicação saiu no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 31.

A medida segue a Lei de Inelegibilidades, de 1990, que define que os ministros que desejam se candidatar precisam deixar os cargos até seis meses antes do primeiro turno. Neste ano, o prazo se esgota no próximo sábado, 2.

Confira lista de mudanças:

1) Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) deve disputar o Senado pelo Amapá. Será substituída por Cristiane Britto, que era secretária nacional de Políticas para as Mulheres;

2) Gilson Machado (Turismo) vai sair para o Senado por Pernambuco. Será substituído por Carlos Brito, que era diretor-presidente da Embratur;

3) Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) deve concorrer ao governo de São Paulo. Será substituído por Marcelo Sampaio, que era secretário-executivo do ministério;

4) Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), pré-candidato ao Senado pelo Rio Grande do Norte, após acordo com o ministro das Comunicações, Fábio Faria, que também cogitava entrar na corrida. Será substituído por Daniel de Oliveira Duarte Ferreira, que era secretário-executivo da pasta;

5) Onyx Lorenzoni (Trabalho), pré-candidato ao governo do Rio Grande do Sul. Será substituído por José Carlos Oliveira, que presidia o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

6) Tereza Cristina (Agricultura), pré-candidata ao Senado pelo Mato Grosso do Sul. Será substituída por Marcos Montes, que era secretário-executivo do ministério;

7) Flávia Carolina Péres (Secretaria de Governo), pré-candidata ao Senado no Distrito Federal. Será substituída por Célio Faria Junior, que era chefe do gabinete pessoal de Bolsonaro.

8) João Roma (Cidadania) deve disputar o governo da Bahia. Será substituído por Ronaldo Vieira Bento, que chefiava a assessoria de Assuntos Estratégicos do ministério;

9) Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), pré-candidato a deputado federal por São Paulo. Será substituído por Paulo Alvim, que era secretário de Inovação do ministério.

Além dos já anunciados, o secretário especial de cultura Mário Frias também foi retirado da função no Ministério do Turismo. O ator assumiu a Secretaria de Cultura em junho de 2020. Na ocasião, substituiu a atriz Regina Duarte. Para seu lugar, o gestor federal convocou Hélio Ferraz de Oliveira, que exercia a função de secretário especial adjunto da cultura.

A expectativa para esta quinta é que as trocas sejam anunciadas ainda em uma cerimônia no Palácio do Planalto pelo presidente Bolsonaro. Depois, alguns dos ministérios atingidos devem promover cerimônias próprias de transferências.

Correio 24hs

Deixe uma resposta