Aprenda a aproveitar a água de arroz no dia a dia.

A água de arroz pode ser reutilizada e trazer uma série de benefícios para o organismo. Durante o cozimento, os grãos liberam vitaminas, minerais e aminoácidos que ficam na água e fazem um bem danado para a saúde da pele, dos cabelos e dos sistemas do corpo como um todo. Esse tipo de água consiste basicamente em um líquido leitoso obtido a partir do cozimento ou fermentação dos grãos de arroz.

Água de arroz ajuda a regular o intestino.

Além de conter fibras em sua composição, a água de arroz apresenta ação prebiótica – ou seja, aumenta os níveis de bactérias benéficas no intestino, fortalece o sistema imunológico e contribui para o processo de digestão. Por isso, é muito indicado tomar uma xícara desta água diariamente.

Faz bem para a saúde do cérebro e do coração.

A água de arroz é fonte de compostos fenólicos (substâncias antioxidantes), vitaminas do complexo B e minerais indispensáveis para a saúde do cérebro e do coração. Além de auxiliar no controle do colesterol, esse tipo de água ajuda a prevenir doenças neurodegenerativas, como o mal de Alzheimer.

Contém inositol, pseudovitamina com ação antienvelhecimento.

Por conter uma série de agentes antioxidantes e outras substâncias medicinais – como o inositol (uma pseudovitamina com ação antienvelhecimento), a água de arroz é muito usada – principalmente na China e no Japão – para hidratar a pele e os cabelos. Nesse caso, basta usar a água para lavar o rosto pela manhã, por exemplo, ou aplicar no cabelo como uma espécie de máscara hidratante.

Como fazer água de arroz?

Além de reaproveitar a água do cozimento do arroz (basta guardá-la em vez de descartá-la), você também pode recorrer ao processo de fermentação dos grãos. Para isso, pegue ½ xícara de arroz cru e deixe de molho em 1 xícara de água. Tampe, espere 24 horas e, depois, basta coar e utilizar o líquido. O mais indicado é usar arroz integral e orgânico (livre de agrotóxicos) para preparar uma água ainda mais nutritiva e benéfica para o organismo.

VOZ DA BAHIA

Deixe uma resposta