Após fazer chamada com Bolsonaro, irmão de petista morto discorda da conclusão da Polícia Civil

A conclusão do inquérito que a Polícia do Paraná comunicou, informando que não houve crime político no assassinato de Marcelo Arruda, foi discordada pelo irmão do tesoureiro do PT, Luiz Donizete Arruda.

Em entrevista à RPC, do Paraná, o irmão do petista, que fez uma chamada de vídeo com o presidente Jair Bolsonaro (PL) nesta semana, afirmou que Jorge Guaranho foi na intenção de assassinar o tesoureiro. “Foi um crime político porque ele [Jorge Guaranho] viu uma decoração que era de esquerda, que tinha a imagem do ex-presidente [Lula], e que caracterizava uma simpatia do PT do meu irmão, e que era um adversário, enquanto eram pessoas de bem”, disse.

Ainda na entrevista, ele frisou que uma pessoa de bem não iria parar em uma festa para atacar outros aleatoriamente. Tudo foi premeditado pelo suspeito.

"E outra coisa: situação de uma ronda. Se o cara vai fazer uma ronda no local, chega lá e está tudo tranquilo, são pessoas de bem, as pessoas não estão vandalizando, não tem briga, não tem discussão, o que um cidadão normal faz? Manobra seu veículo e vai pra casa […] Mas como era uma decoração adversa ao viés político dele, ele resolveu tirar satisfação com os convidados, inclusive com meu irmão", desabafou.

Por fim, Luiz Donizete fez um apelo ao presidente e ao candidato à presidência, Lula, para que a violência não seja a principal aliada neste ano de eleição.

“Eu espero dos dois líderes neste momento, tanto do presidente Bolsonaro quanto do ex-presidente Lula, um aceno de paz pra nós […]".

O irmão de Marcelo prosseguiu: "Eu gostaria que os dois principais líderes hoje do nosso momento eleitoral fizessem um aceno de paz e mandassem uma mensagem para todos os correligionários deles, e a partir do momento que alguém de qualquer lado, cometer um ato, primeiramente condenar esse ato, porque a partir do momento que um dos dois não se manifestam pedindo pra parar isso aí, acredito que a escalada pode ser catastrófica pra gente”.

Inquérito

Jorge Guaranho segue internado e foi indicado por homicídio duplamente qualificado. Além disso, a delegada do caso, Camila, comentou que o bolsonarista teria atirado contra Marcelo porque ficou ofendido após o petista jogar terra e pedra nele.

Correio 24hs

Deixe uma resposta