Padrasto acusado de estupro e tortura pode responder por cerca de 10 crimes, diz MP-BA

O padrasto da jovem Eva Luana da Silva, Thiago Oliveira Alves, 37 anos, que foi indiciado pelos crimes de estupro e tortura, pode responder por cerca de 10 crimes, segundo o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA).

Conforme as informações do G1, o acusado não havia apresentado defesa até esta sexta-feira (22). Entretanto, o MP-BA informou que ele tem até o sábado (23), para apresentar um advogado.

Se não houver representação, um juiz que acompanha o caso deve decretar que a defesa dele seja feita por um defensor público. A mãe de Eva e a irmã dela, de 6 anos, também são vítimas no processo. Não há detalhes sobre quais crimes o acusado vai responder, porque o processo corre em segredo de Justiça.

Segundo a promotora de Justiça Anna Karina Senna, parte dos crimes foi elencada pela delegada responsável pelo caso, e outra parte foi anexado ao processo pelo MP-BA, a partir dos relatos da vítima. Thiago já foi indiciado por estupro e tortura. Ele está detido Centro de Observação Penal de Salvador, que fica no Complexo Penitenciário da Mata Escura.

O acusado também foi exonerado do cargo de assessor técnico da prefeitura de Camaçari. A exoneração foi publicada no Diário Oficial do Município na quinta-feira (21). A história de Eva Luana chocou o país na última terça-feira (19). A jovem mora em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), e utilizou a conta no Instagram para contar sobre os abusos, estupros e torturas sofridas.

G1 NOTICIAS

Deixe uma resposta