Edison Brittes trocou de roupa após matar Daniel, diz delegado

O caso Daniel ganhou mais um capítulo nesta sexta-feira (9). O suspeito de matar o ex-jogador do São Paulo, Edison Brittes, trocou de roupas depois de abandonar o corpo da vítima, em um matagal em São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, no dia 27 de outubro. A informação foi divulgada pelo delegado Amadeu Trevisan, em coletiva de imprensa na tarde de hoje.

“O Edison, quando ele mata o Daniel, ele fica com as mãos e com a roupa sujas de sangue. Ele para em uma determinada loja e dá dinheiro para o David, que compra roupas novas pra ele. Aí ele dispensa essas roupas dele sujas de sangue e joga juntamente com a faca no riacho”, declarou o delegado. Edison assumiu a autoria do crime e foi preso no dia 1º deste mês.

Segundo informações do G1, David Willian da Silva, de 18 anos, citado pelo delegado, também foi preso suspeito de participar do crime. De acordo com a reportagem, o jovem prestou depoimento nesta sexta-feira. Outro suspeito ouvido nesta sexta foi Ygor King, de 19 anos. A ouvida da dupla durou cerca de duas horas e meia.

“Os dois disseram que não desceram do carro e que quem desceu foi o Eduardo, juntamente com o Edison”, disse Amadeu. Eduardo Henrique da Silva, 19, é primo de Cristiana Brittes, esposa de Edson, que também foi detida, além da filha do casal, Alana. Eduardo, que ainda não foi ouvido, foi preso em Foz do Iguaçu.

NOTICIAS AO MINUTO

Deixe uma resposta