Tags Posts tagged with "Porto Alegre"

Porto Alegre

1955

Antenado com o que está acontecendo no Brasil, o ídolo argentino Diego Maradona declarou o seu apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O político está sendo julgado pelo caso do tríplex do Guarujá, nesta quarta-feira (24), no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRT4), em Porto Alegre. El Pibe publicou uma foto segurando uma camisa da seleção brasileira com o número 18 e o nome de Lula na sua conta oficial no Facebook. “Lula querido, Diego está contigo!”, escreveu o ex-craque da camisa 10 da Argentina. Maradona é conhecido por suas manifestações a favor de diversos governantes sul-americanos de esquerda. O jogador pendurou as chuteiras em 1997. Atualmente ele é o treinador do Al-Fujairah, dos Emirados Árabes Unidos.

Bahia Notícias

1491
Sessão ocorrerá no próximo dia 24, no TRF-4, na cidade de Porto Alegre

O procurador regional Maurício Gotardo Gerum pretende aumentar a pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no julgamento de 24 de janeiro, alegando que o petista cometeu três crimes, e não apenas um, como sentenciado pelo juiz Sergio Moro no ano passado.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), sediado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, julgará o líder petista no dia 24 de janeiro, após ter sido condenado em primeiro grau a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Gerum será o representante da Lava Jato diante dos desembargadores federais da 8ª Turma Penal da Corte. O procurador é um dos integrantes do Ministério Público Federal (MPF) em julgamentos de segunda instância.

De acordo com o jornal “O Estado de S.Paulo”, o texto de Gerum possui 81 páginas e ele terá 30 minutos para discursar. Nele, o procurador pretende apresentar provas de que Lula cometeu mais três delitos de corrupção passiva.

Ele alegará que a Petrobrás assinou três contratos com a construtora OAS e, segundo a denúncia, ofereceu um apartamento e bancar as reformas no imóvel para Lula. Em outro ponto, Gerum vai argumentar que há relação entre os contratos e o recebimento da proprina pelo petista.

“A cada contrato fechado entre as empreiteiras consorciadas e a Petrobrás, que no caso da OAS foram três, o oferecimento e a promessa de vantagem se renovam, constituindo crime autônomo”, indicou Gerum.(ANSA)

Notícias ao Minuto

1741
No último dia, foram aplicadas as provas de história e matemática. O exame de exatas foi gabaritado por 169 candidatos.

O vestibular 2018 da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) terminou na quarta-feira (10) com abstenção de 18,93%. Dos 32.438 inscritos, 26.299 compareceram, e 6.139 faltaram. A instituição informa que o listão dos aprovados sai até o dia 20 de janeiro.

No último dia, os candidatos fizeram as provas de história e matemática. A de humanas foi gabaritada por cinco estudantes, e a de exatas por 169. A média de história ficou em 13,7259, e a de matemática em 10,5976.

Depois que o listão dos aprovados for divulgado, até 20 de janeiro, os candidatos selecionados deverão remeter os documentos necessários entre os dias 21 e 25. As informações estão no portal da universidade.

G1

2350

o primeiro dia do vestibular 2018 da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), 27.041 candidatos compareceram aos locais de provas no estado, de um total de 32.438 inscritos. A abstenção foi de 16,64% (5.397 ausentes). No domingo (7), foram realizados os exames de física e literatura de língua portuguesa e língua estrangeira.

A UFRGS também divulgou nesta segunda (8) as médias do primeiro dia de provas.

  • Física: 9,4418 (gabaritada por 62 candidatos)
  • Literatura de língua portuguesa: 12,3056 (gabaritada por 8 candidatos)
  • Inglês: 8,6021
  • Espanhol: 12,1070
  • Italiano: 12,9245
  • Francês: 11,4561
  • Alemão: 13,487
Alteração no gabarito

A UFRGS informou que a prova de literatura de língua portuguesa teve a resposta da questão 44 modificada de A para E. O gabarito atualizado está disponível na página do vestibular.

Segundo dia de provas

Nesta segunda, os candidatos fazem as provas de língua portuguesa, com 25 questões de múltipla escolha, e redação, com no mínimo 30 linhas.

Cada uma das provas corresponde a 50% do total da nota. O gabarito será divulgado a partir das 17h no site da universidade.

O vestibular vai até quarta-feira (10), e é realizado em Porto Alegre, Bento Gonçalves, na Serra, e Imbé e Tramandaí, no Litoral Norte.

G1

2998

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já avisou a dirigentes do partido que irá sim comparecer ao julgamento, no Tribunal Regional da 4.ª Região (TRF-4), dia 24, em Porto Alegre (RS), que pode torná-lo inelegível.

Segundo o Estadão, a assessoria do Instituo Lula não confirmou a informação e afirmou apenas que a defesa do petista solicitou ao TRF-4 que o ex-presidente seja ouvido durante o julgamento, mas o pedido ainda não foi apreciado pelos desembargadores do tribunal.

A direção do partido já prepara um grande ato de recepção ao ex-presidente no próprio dia 24, na volta a São Paulo. No dia seguinte a Executiva Nacional do PT faz uma reunião ampliada para reafirmar a candidatura do ex-presidente, seja qual for o resultado do julgamento.

Lula foi condenado, em primeira instância, a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá. Caso seja confirmada a condenação, ele pode ser impedido de disputar a eleição presidencial.

Metro1

1462

Um medicamento que impede a propagação do vírus HIV na corrente sanguínea, já indicado como terapia antirretroviral nos Estados Unidos e em países da Europa, estará disponível ainda este mês para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em 12 estados.

O comprimido, fabricado por um grupo norte americano, já era indicado para o tratamento de soropositivos como parte do coquetel de aids. De acordo com informações da Agência Brasil, a novidade é que o fármaco poderá ser utilizado agora por quem nunca entrou em contato com o vírus, mas pode estar exposto a ele durante a relação sexual.

É o caso, por exemplo, de profissionais do sexo. Vale lembrar que não protege o usuário contra outras infecções transmitidas sexualmente.

A distribuição do remédio pelo SUS vai priorizar 7 mil pessoas com mais de 18 anos, consideradas grupos de risco de contaminação, incluindo profissionais de saúde, homens que se relacionam com homens, transexuais e casais sorodiscordantes – quando um dos parceiros é portador do HIV e o outro não. Antes do início da terapia, no entanto, é necessário fazer exames, uma vez que o remédio é contraindicado para pessoas com doenças renais e desgaste nos ossos.

Segundo o médico Juan Carlos Raxach, coordenador da área de Promoção da Saúde e Prevenção da Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids, embora o Truvada, nome comercial do medicamento, tenha demonstrado 99% de eficácia nos testes clínicos, para impedir a replicação do vírus HIV, não veio para substituir a camisinha. “Está se falando muito que a profilaxia pré-exposição vem para acabar com o uso da camisinha. Chegou para ampliar as possibilidades de se prevenir da infecção do HIV. Então, ele não vai substituir a camisinha, mas, com certeza, ampliará a possibilidade de prevenção e dará oportunidade àquelas pessoas que não gostam utiliza-la, de ter outro método para não se infectar com o vírus. ” Ente as primeiras capitais a receber o medicamento estão Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Manaus e São Paulo.

 Agência Brasil

532

O Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, decidiu hoje (21) reduzir a condenação do ex-deputado Eduardo Cunha na Operação Lava Jato. A Oitava Turma reduziu a pena de 15 anos e quatro meses de prisão para 14 anos e seis meses pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Também ficou decidido pelo cumprimento imediato da pena após o julgamento de mais um eventual recurso.

Atualmente, ele está preso preventivamente no Complexo-Médico Penal (CMP), na região metropolitana de Curitiba. O tribunal julgou a apelação de Eduardo Cunha, que tentava reverter a sentença do juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, que o condenou pelo recebimento de 1,3 milhão de francos suíços em propina em um contrato para exploração da Petrobras no campo de petróleo no Benin, na África.

Nas últimas semanas, Cunha ficou preso temporariamente em Brasília em função dos depoimentos que estava prestando em outro processo oriundo da Lava Jato no Distrito Federal. No entanto, após o interrogatório, seu retorno a Curitiba foi determinado pela Justiça.

Informe Baiano

107

O Ministério Público Federal pediu a absolvição do ex-presidente Lula e do empresário André Esteves em um processo no qual eles eram acusados de tentativa de obstrução da Lava Jato.

Mas o que isso significa? O ex-presidente não ficará inelegível, não poderá mais ser preso?

Na verdade, pouca coisa se resolveu. Essa ação, na verdade, é apenas um dos seis processos que o ex-presidente enfrenta na Justiça.

Ainda existe a possibilidade de o juiz não acatar a recomendação do Ministério Público e decidir pela condenação, segundo o professor de Direito Penal do Mackenzie Humberto Fabretti, mas isso não é o que costuma ocorrer.

“O Ministério Público é a parte que está movendo a ação, e se eles próprios estão pedindo a absolvição, não tem nenhum motivo para o juiz decidir por conta própria condenar”, afirma.

Se o pedido de absolvição for acatado e não houver recurso, o ex-presidente se livra desse processo.

Nas outras quatro ações em que é réu, no entanto, ele ainda pode ser condenado, correndo risco de ficar inelegível ou ser preso.

A ação
Lula e o banqueiro André Esteves são réus no processo porque foram acusados de participar da tentativa de compra do silêncio de Nestor Cerveró.

A acusação era baseada na delação do ex-senador Delcídio do Amaral. O MP decidiu, no entanto, com base nas provas, que o maior interessado na compra do silêncio de Cerveró era o próprio Delcídio.

A ligação de Lula e de Esteves com a tentativa de obstrução da Lava Jato não foi provada, daí o pedido de absolvição.

Delação premiada
Fabretti pondera que esse pedido de absolvição mostra os perigos de confiar cegamente nas delações premiadas.

“Esse caso mostra que, para se livrar de uma condenação, réus podem imputar mentiras sobre outras pessoas. Isso aconteceu com o Lula, mas imagina com uma pessoa “normal”? Ter que pagar advogado, ficar sem dormir. É preciso usar esse recurso com mais ponderação”, avalia.

Veja as cinco outras ações nas quais Lula é réu:

Sítio de Atibaia
No dia 1º de agosto, o juiz Sérgio Moro acatou o pedido da acusação e Lula se tornou réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do sítio de Atibaia. Ele é acusado de ter sido contemplato com uma propina de R$ 1,02 milhão das empreiteiras OAS e Odebrecht, referentes às obras de reforma da propriedade.

Caso tríplex
Nesta ação, o ex-presidente já foi condenado a nove anos e meio de prisão em primeira instância. O processo agora tramita no TRF4, em Porto Alegre. Lula é acusado de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, por ter recebido o apartamento no Guarujá como contrapartida por contratos fechados entre a OAS e a Petrobras durante sua gestão.

Terreno que seria destinado ao Instituto Lula
Em outra ação da Lava Jato, Lula é acusado de receber propinas da Odebrecht na forma de um terreno de 12,5 milhões de reais, que seria destinado à construção da sede do Instituto Lula em São Paulo, e de um apartamento cobertura vizinho ao que Lula mora em São Bernardo do Campo, avaliado em 504 mil reais.

Tráfico de influência
No âmbito da operação Zelotes, Lula responde, ao lado do filho Luís Cláudio Lula da Silva, à acusação de tráfico de influência na concorrência que resultou na escolha pela Força Aérea Brasileira (FAB) da compra de caças suecos Gripen NG e na edição de uma medida provisória que deu incentivos fiscais ao setor automotivo.

Contratos da Odebrecht em Angola
O ex-presidente também é réu em um processo ligado à operação Janus, um desdobramento da Lava Jato que apura supostas irregularidades em financiamentos do BNDES para contratos da Odebrecht em Angola. No caso, Lula é acusado de corrupção e tráfico de influência, que também tem como réu Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira.

206

A definição, pelo governo federal, de quais setores deveriam ser privatizados nos Estados, dentro do projeto de socorro financeiro, fez as ações de algumas empresas estatais dispararem nesta terça-feira, 21. O banco gaúcho Banrisul e as empresas mineiras Cemig, de energia, e Copasa, de saneamento, encerraram o pregão em alta.

Cemig

Com possibilidade de venda, ações da Cemig subiram 5%; governador de MG rechaça privatização

A proposta do governo federal determina os ativos de que os Estados terão de abrir mão para ter acesso ao novo regime de recuperação fiscal. A contrapartida seria a suspensão de pagamento das dívidas com a União por até três anos. Caso as assembleias legislativas autorizem a privatização das empresas, os recursos obtidos deverão ser destinados para a quitação das dívidas.

Também nesta terça-feira, 21, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou de vez a venda da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae).

O Banrisul PNB teve o melhor resultado entre as três empresas, com alta de 10,32%. O banco obteve lucro líquido de R$ 659,7 milhões em 2016, 22,3% a menos do que no ano anterior, quando o ganho havia alcançado R$ 848,8 milhões.

Assim como Rio de Janeiro e Minas Gerais, o Rio Grande do Sul passa por grave crise fiscal e faltam recursos até para pagar o salário de servidores em dia. O Estado tem um dispositivo constitucional que exige que sejam feitos plebiscitos para aprovar a privatização de estatais.

No fim de 2016, o governo José Ivo Sartori (PMDB) enviou à Assembleia uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) retirando a necessidade de plebiscito para a venda da CEEE, de energia, da CRM, de mineração, e da Sulgás. Segundo o Estado, a privatização do banco não estaria em discussão.

“O Banrisul é um dos poucos ativos que geram lucro para o Estado e a ideia de privatizá-lo é algo que só agravaria nossa crise. O governo estadual faz um movimento de sinalizar a venda das empresas de energia para, no futuro chegar ao Banrisul, que é a empresa que mais interessa ao mercado”, diz Luciano Fetzner Barcellos, secretário-geral do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região.

“Uma alternativa que o governo busca é propor um processo de federalização do Banrisul, transferindo para a União a missão de privatizá-lo em seguida. Caso sinta que não terá ambiente político para conseguir o cancelamento dos plebiscitos, o governo Sartori deverá fazer a consulta popular, após uma campanha agressiva para convencer a população de que a privatização é a única saída”, diz o deputado Zé Nunes (PT), da oposição, que compõe uma frente parlamentar contra a venda do banco.

Mineiros. No pregão, embaladas pela possibilidade de privatização, as ações da Cemig PN, companhia de energia de Minas, fecharam em alta de 5,73%; as da Copasa ON, empresa de saneamento do Estado, tiveram ganhos de 3,18%.

Em evento na capital mineira, o governador Fernando Pimentel (PT) criticou o projeto de ajuste fiscal do governo federal e afirmou que Cemig e Copasa não serão privatizadas.

“É como se faltasse comida em casa e você vendesse o fogão para solucionar o problema. Qual é o objetivo dessa pressão para que o Estado venda suas empresas mais eficientes para resolver um problema que podemos resolver ao longo do tempo, se houver boa vontade do governo federal?”, questionou. Pimentel disse que irá defender na Câmara a retirada de contrapartidas que considera excessivas.

Estadão