Tags Posts tagged with "Estados Unidos"

Estados Unidos

    411
    História de “conto de fadas” teve início em 2005

    Anorte-americana Ariana Austin viveu uma história de amor parecida com a de um conto de fadas. Há 12 anos, ela conheceu um rapaz em uma discoteca de Washington, nos Estados Unidos, e descobriu que ele era príncipe de verdade, com título real.

    A dupla se casou no mês passado. Joel Makonnen estava na balada com os amigos, quando cruzou com Austin na pista de dança. “Eu disse: ‘Olá, meninas. Vocês se parecem com as modelos do comercial da Bombay Sapphire”, contou Makonnen para jornais dos EUA, relembrando aquela noite de 2005.

    O jovem de 23 anos preferiu esconder de Austin sua verdadeira identidade e tentou impressioná-la com seus conhecimentos sobre história. “Ele falou sobre temas pesados, apesar de ser jovem. Mencionou a revolução pela qual a Etiópia passou”, confessou a mulher.

    Conhecido como príncipe Yoel, Makonnen nasceu em Roma, na Itália, mas foi criado na Suíça durante o período em que seus pais, o príncipe David Makonnen e a princesa Adey Imru Makonnen, viveram no exílio. A família foi expulsa da Etiópia em 1974, após uma guerra colocar fim ao reinado de seu avô. Com informações da Ansa.

    Notícias ao Minuto

      21

      Os Estados Unidos anunciaram que vão abandonar a UNESCO no fim de 2018, citando a necessidade de reformas e preconceitos contra Israel na organização, comunicou nesta quinta-feira (12) a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert.

      “Em 12 de outubro, o Departamento de Estado notificou para a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, sobre a decisão dos EUA de abandonar a organização […] Não foi fácil tomar esta decisão, e ela reflete as preocupações dos EUA em torno do acúmulo de dívidas da UNESCO, da necessidade de reformas fundamentais da organização e do preconceito contra Israel”, declarou Nauert, acrescentando que a decisão entrará em vigor em 31 de dezembro de 2018.

      Sputnik News.

        41
        O governo dos Estados Unidos anunciou nesta terça-feira (5) o fim do programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância (Daca, na sigla em inglês), criado pelo ex-presidente Barack Obama, e que protegia da deportação 800 mil jovens imigrantes. A informação é da EFE.
        A suspensão do Daca entrará em vigor daqui a seis meses para forçar o Congresso a encontrar uma alternativa para o programa.
        “Estou aqui para anunciar que o programa Daca, sancionado pela administração de Obama, será rescindido”, anunciou em entrevista coletiva o procurador-geral dos EUA, Jeff Sessions, um dos membros do governo de Donald Trump com posições mais duras em relação à imigração no país.
        No limbo
        Na última sexta-feira (1°), o presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, o republicano Paul Ryan, pediu  a Trump que mantivesse o Daca. “Essas pessoas estão no limbo, são crianças  que seus pais trouxeram para cá, que não conhecem outro país e que não tem outro lar. Realmente, acredito que deve haver uma solução legislativa e é nisso que estamos trabalhando. Queremos tranquilizar as pessoas”, disse Ryan, principal liderança do Partido Republicano no Congresso.

          73
          Desde março, 11% das importações de carne in natura foram recusadas por autoridades norte-americanas

          Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (23) que suspendeu todas as importações de carne fresca do Brasil. Segundo o secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, há “preocupações recorrentes sobre a segurança dos produtos destinados ao mercado americano”.

          De acordo com ‘Globo’, os Estados Unidos reabriu o mercado de compra de carne in natura do Brasil no último ano, após passar um longo período sem importar o alimento.

          Desde março, autoridades do Serviço de Inspeção e Segurança de Alimentos dos Estados Unidos vem inspecionando todos os produtos do setor que chegam no país. A entrada de 11% das importações de carne fresca foram recusadas.

          “Esse valor é substancialmente superior à taxa de rejeição de 1% das remessas do resto do mundo. Desde a implementação do aumento da inspeção, recusou a entrada para 106 lotes de produtos bovinos brasileiros devido a problemas de saúde pública, condições sanitárias e problemas de saúde animal. É importante notar que nenhum dos lotes rejeitados chegou ao mercado norte-americano”, disse nota do órgão.

          Notícias ao Minuto

          166

          Daniela Mercury foi a única brasileira a ser lembrada no PMA (Internacional Portuguese Music Awards 2017), prêmio que valoriza os artistas de língua portuguesa em todo mundo.

          A cerimônia aconteceu na noite deste domingo (23) nos Estados Unidos,  em um teatro na cidade de New Bedford. Daniela levou o prêmio Life Achievement Award por sua carreira e Outstanding Album Award pelo álbum “Vinil Virtual”.

          Varela Notícias

            168
            Imprensa norte-coreana afirma, em tom de ameaça, que Estados Unidos e seus aliados ‘não devem mexer’ com eles

            A imprensa estatal da Coreia do Norte voltou a ameaçar a Casa Branca para um “ataque preventivo super poderoso” que poderia “reduzir os Estados Unidos a cinzas”, segundo publicou nesta quinta-feira (20) o jornal Rodong Sinmun, publicação oficial do Partido dos Trabalhadores norte-coreano.

            “No caso de um ataque preventivo super poderoso ser lançado, ele irá destruir completamente e imediatamente não só as forças de invasão dos imperialistas norte-americanas na Coréia do Sul e suas áreas vizinhas, mas os Estados Unidos e reduzi-los a cinzas”, publicou o jornal, segundo a Agência Reuters.

            A publicação norte-coreana escreveu ainda, em tom de ameaça, que os Estados Unidos e seus aliados “não devem mexer conosco”. No fim de semana, o regime de Kim Jong-um divulgou um vídeo propagandístico que mostrava um ataque nuclear simulado que destruía uma cidade americana não identificada. Um cemitério e uma bandeira dos EUA apareciam em chamas no mesmo material.

            A mais nova ameaça de Pyongyang – semelhante a outras feitas no passado – veio após o Secretário de Estado norte-americano Rex Tillerson dizer que Washington deverá aumentar a pressão para que a Coreia do Norte ponha um fim ao seu programa nuclear.

            “Estamos analisando todo o status da Coréia do Norte, tanto em termos de patrocínio estatal do terrorismo como de outras formas pelas quais podemos exercer pressão sobre o regime em Pyongyang para que se volte a se empenhar conosco por meio de uma base diferente das conversações anteriores”, revelou Tillerson, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (19).

            No mesmo dia, mas diretamente do porta-aviões nuclear USS Ronald Reagan no Japão, o vice-presidente norte-americano Mike Pence falou em uma reação “esmagadora e eficaz” em caso de qualquer ataque vindo da Coreia do Norte, dizendo ainda que “a espada está pronta”.

            De sua parte, a Casa Branca determinou nesta semana a revisão do programa nuclear dos Estados Unidos para a apresentação de um relatório até dezembro ao presidente do país, Donald Trump. Já as forças militares norte-americanas participaram de novos exercícios ao lado das forças sul-coreanas, o que Pyongyang seguidamente diz significar “uma provocação”

            Notícias ao Minuto

              337
              Foto: AFP 2017/ HO / Marinha dos EUA

              O Tsirkon, o novo míssil hipersônico antinavio russo, já se сonverteu em uma dor de cabeça para a Aliança Atlântica, afirma o portal Govorit Moskva.

              Ivan Konovalov, perito militar e diretor do Centro de Conjuntura Estratégica, indicou em uma entrevista à rádio Govorit Moskva que o Tsirkon, batizado pela OTAN como “assassino de porta-aviões” não tem igual no arsenal bélico dos EUA.

              O especialista destacou que o novo míssil russo, destinado para operações navais, é capaz de fazer frente às mais potentes plataformas de combate.

              “O Tsirkon é originalmente um míssil antinavio, capaz de destruir porta-aviões. Claro que sempre foi um objeto de preocupação por parte dos EUA e seus aliados da OTAN, já que eles não dispõem de uma resposta adequada. Não há absolutamente nada melhor que o Tsirkon”, assegurou Konovalov.

              Em opinião dele, estes mísseis podem ser utilizados nos novos submarinos nucleares russos, nos cruzadores nucleares e nos destróiers. Ademais, explicou o perito, não vale a pena procurar por uma ligação qualquer entre o Tsirkon e a situação tensa na península coreana.

              Anteriormente foi informado que, durante os ensaios, o Tsirkon teria alcançado oito vezes a velocidade do som, o que faz com que ele seja praticamente inatingível pelos sistemas de defesa aérea existentes. Sputnik

                154
                Os meios de comunicação norte-coreanos publicaram que seu líder, Kim Jong-un, ordenou que seus mísseis estejam prontos para atacar a "qualquer momento" alvos dos Estados Unidos e da Coreia do Sul

                A Coreia do Norte afirmou estar pronta para responder às provocações norte-americanas no Leste Asiático, segundo informou a agência KCNA nesta segunda-feira.

                No último final de semana, os Estados Unidos enviaram um grupo de ataque naval para a península coreana, em meio ao aumento das tensões na região por conta dos testes nucleares realizados por Pyongyang.

                “Isso mostra que os movimentos imprudentes dos EUA para invadir a Coreia do Norte atingiram uma fase séria”, afirmou o Ministério das Relações Exteriores norte-coreano.

                Imagem relacionada

                Os meios de comunicação norte-coreanos publicaram que seu líder, Kim Jong-un, ordenou que seus mísseis estejam prontos para atacar a “qualquer momento” alvos dos Estados Unidos e da Coreia do Sul

                87

                O dólar virou e fechou em queda pelo terceiro dia de negócios seguido nesta terça-feira (4), com com fluxo pontual de venda e com os investidores de olho na cena política após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adiar o julgamento da ação que pede a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer.

                A moeda norte-americana caiu 0,55%, a R$ 3,0978, após chegar a R$ 3,0928 na mínima do dia. Veja a cotação do dólar hoje. No ano, o dólar tem queda acumulada de 4,67% sobre o real.

                “O mercado trabalhava com a expectativa de que (o julgamento) seria adiado, mas o pior poderia acontecer”, afirmou à Reuters o diretor de operações da Mirae Corretora, Pablo Spyer. “Sem essa pressão, o fluxo pontual acabou puxando a moeda (norte-americana) para baixo”, acrescentou.

                Os sete ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram por unanimidade conceder prazo adicional para as alegações finais das defesas e, após 1h45 de sessão, adiaram o julgamento da ação que pede a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer. É a primeira vez que a Justiça Eleitoral analisa um caso envolvendo o chefe do poder Executivo.

                O temor é de que o governo Temer fique ainda mais refém de negociações políticas para aprovar no Congresso Nacional a votação de reformas, sobretudo a da Previdência, destaca a Reuters.

                A perspectiva desde cedo era de que a trajetória da moeda norte-americana em relação ao real pudesse ser aliviada, uma vez que havia a expectativa de ingresso de recursos no país no futuro próximo por conta, entre outros, da segunda rodada da regularização de ativos mantidos no exterior.

                Ainda segundo a Reuters, o mercado externo também influenciava, com cautela antes da reunião entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, e também após uma explosão suicida na Rússia.

                O Banco Central não anunciou intervenção no mercado de câmbio, por enquanto. Em maio, vencem US$ 6,389 bilhões em swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares.

                G1

                79

                Com apenas 1.295 pontos separando a terceira da oitava colocada, o Top 10 do ranking da Associação das Tenistas Profissionais (WTA) teve uma dança das cadeiras após a atualização desta segunda-feira. Houve mudança até na ponta, com a Angelique Kerber ultrapassando Serena Williams.

                A alemã voltou ao primeiro lugar apesar da derrota para a russa Elena Vesnina nas oitavas de final do Torneio de Indian Wells, nos Estados Unidos. O retorno à liderança, de qualquer forma, independia do resultado de Kerber, uma vez que ela foi beneficiada pela ausência de Serena, que tem joelho e não joga desde janeiro.

                Nesta segunda, Kerber aparece 385 pontos à frente de Serena, que também não vai jogar em Miami. Lá, a norte-americana tinha apenas 120 pontos a defender, enquanto a alemã somou 390 pontos em 2016. Ou seja: novamente independente do resultado, Kerber continuará líder na semana que vem.

                Semifinalista em Indian Wells, a checa Karolina Pliskova manteve o terceiro lugar, com a eslovaca Dominika Cibulkova assumindo o quarto lugar, ultrapassando a romena Simona Halep, eliminada na terceira rodada.

                Depois de chegar à semifinal em 2016, a polonesa Agnieska Radwanska também caiu na terceira rodada e perdeu duas posições. Despencou para o oitavo lugar, ultrapassada pela espanhola Garbiñe Muguruza e a russa Svetlana Kuznetsova.

                Campeã em Indian Wells, Vesnina subiu apenas duas posições, para o 13.º lugar, uma vez que, na última atualização, havia uma lacuna grande entre ela, então na casa de 2.300 pontos, e a primeira tenista dela, que já estava na casa de 3.000 pontos.

                Assim, a subida mais expressiva da semana foi da francesa Kristina Mladenovic, que pulou do 26.º para o 18.º lugar depois de chegar à semifinal. Por outro lado, a bielo-russa Victoria Azarenka, grávida, caiu do 17.º para o 48.º lugar. Ela havia sido campeã no ano passado.

                Entre as brasileiras, Bia Haddad Maia se manteve como número 1 do País e chegou ao 166.º lugar após ganhar o Future de Clare, na Austrália. Paula Gonçalves aparece em 187.º lugar, com Teliana Pereira duas posições abaixo. Teliana vem de derrota na primeira rodada no Future de Curitiba e na segunda rodada no de São Paulo. Vice-campeã no Paulistano, Laura Pigossi, de 22 anos, ganhou 74 posições e agora aparece em 345.º lugar, ainda como quarta melhor brasileira.

                Confira o ranking atualizado da WTA:

                1) Angelique Kerber (ALE), 7.515 pontos
                2) Serena Williams (EUA), 7.130
                3) Karolina Pliskova (RCH), 5.640
                4) Dominika Cibulkova (ESQ), 5.160
                5) Simona Halep (ROM), 5.022
                6) Garbiñe Muguruza (ESP), 4.790
                7) Svetlana Kuznetsova (RUS), 4.555
                8) Agnieszka Radwanska (POL), 4.345
                9) Madison Keys (EUA), 4.007
                10) Elina Svitolina (UCR), 3.850
                11) Johanna Konta (GBR), 3.545
                12) Venus Williams (EUA), 3.485
                13) Elena Vesnina (RUS), 3.320
                14) Caroline Wozniacki (DIN), 3.225
                12) Petra Kvitova (RCH), 3.095
                16) Timea Bacsinszky (SUI), 2.303
                17) Anastasia Pavlyuchenkova (RUS), 2.141
                18) Kristina Mladenovic (FRA), 2.080
                19) Samantha Stosur (RCH), 2.010
                19) Barbora Strycova (RCH), 1.995
                166) Bia Haddad Maia (BRASIL), 341
                187) Paula Gonçalves (BRASIL), 287
                189) Teliana Pereira (BRASIL), 286