PF prende mulher com 18 quilos de maconha no aeroporto de Salvador

PF prende mulher com 18 quilos de maconha no aeroporto de Salvador

42

Uma mulher, que não teve a identidade divulgada, viajou de Porto Velho para Salvador trazendo 18 quilos de maconha foi presa em flagrante pela Polícia Federal, no Aeroporto Luis Eduardo Magalhães, nessa sexta-feira (14). A pessoa que esperava pela droga também acabou presa.

A abordagem foi feita pelos policiais federais no momento em que ela fazia a entrega da droga para um homem e a prisão foi efetivada. Durante a ação foi apreendido também um veículo.

O entorpecente encontrava-se na forma de “skunk”, variedade de maconha que pode chegar até 10 vezes mais de concentração do princípio ativo, e, por isso com alto valor no mercado de drogas.  Os dois envolvidos irão responder pelo crime de tráfico de entorpecentes, previsto no artigo 33, c/c 40, V, da Lei 11.343/2006 (Lei de Drogas), que prevê pena mínima superior a 5 anos de reclusão e multa.

As investigações, em andamento, buscam identificar se existe relação entre as prisões realizadas na última quarta-feira (12) quando quatro pessoas suspeitas de tráfico interestadual de drogas também foram presas no aeroporto de Salvador. Duas mulheres viajaram de Manaus para Salvador trazendo cerca de 33 quilos de maconha.

Dois homens esperavam por elas no estacionamento do aeroporto, onde foi feita a abordagem pelos policiais federais, constatada a presença da droga e efetivada a prisão. Nessa situação, o entorpecente também se encontrava em forma de skunk.

Já na última quinta-feira (13), a polícia apreendeu quatro toneladas de maconha escondidas em uma carga de cebola, na Rua da Alegria, em Campinas de Pirajá. A ocorreu durante uma operação das polícias Civil, Militar, Rodoviária e Federal. Sete pessoas foram presas.

Segundo a Polícia Federal (PF), essa é uma das maiores apreensões de maconha já feita no Norte/Nordeste. O delegado da PF, Rodrigo Motta, que atua na Delegacia de Crimes Organizados, informou que a droga é avaliada em R$ 6 milhões.

Voz da Bahia

Sem cometários