Justiça nega permissão para Geddel sair de apartamento

Justiça nega permissão para Geddel sair de apartamento

19
Foto: Valter Campanato/ Agência Bras

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, negou um pedido da defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) para tomar banho de sol e fazer exercícios físicos nas áreas comuns do prédio em que mora e cumpre prisão domiciliar, localizado no Chame-Chame, em Salvador. O magistrado autorizou familiares do peemedebista a usar celulares, computadores e outros aparelhos de acesso à internet no apartamento em que a medida está sendo cumprida.

A defesa de Geddel citou base legal para que presos tenham o direito a pelo menos duas horas diárias de banho de sol, além do exercício de atividades “desportivas/físicas”. Já o juiz considerou ser plausível o pedido, mas ponderou que, antes da autorização, a defesa terá de comprovar que o apartamento do ex-ministro não tem varanda ou “varanda com sol suficiente para cumprir o direito pretendido”, o que justificaria a permissão para descer para o espaço de convivência e playground.

Oliveira também alegou ser necessário demonstrar que a área do imóvel é inviável para a malhação. Geddel foi preso em julho pela Polícia Federal no âmbito da Operação Cui Bono, no âmbito da Operação Lava Jato. Cerca de uma semana depois, o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), de Brasília, autorizou que o ex-ministro deixasse o presídio da Papuda, na capital federal, e cumprisse prisão domiciliar. Metro1

Sem cometários